8 agosto 2018

Colaboradores

5 formas como a tecnologia na construção muda a forma de trabalhar

Original de Buildin
Tecnologia na Construção
0

Você já deve ter notado como a tecnologia da informação vem transformando o nosso jeito de viver e de interagir com outras pessoas. Como não poderia ser diferente, essa revolução também está alterando o modo de trabalhar de quem atua na indústria da construção.

De operários a engenheiros e arquitetos, passando por administradores e investidores, todos serão impactados por uma série de novidades tecnológicas. O que elas prometem? Aumentar a produtividade, reduzir retrabalhos, melhorar a comunicação e elevar a eficiência dos processos.

Quer mais? Problemas antigos e muito conhecidos do setor estão sendo resolvidos com a ajuda da tecnologia na construção. Contamos a seguir como isso vem acontecendo.

Acompanhe!

1. A tecnologia na construção revoluciona a gestão de projetos

A gestão de projetos sempre foi uma etapa problemática na construção. Atrasos no cronograma, custos que extrapolam o orçamento, retrabalhos e desperdício de recursos (financeiros e humanos) são algumas consequências perversas de falhas na gestão de projetos.

O gerenciamento offline deixa de fazer sentido à medida que os projetos adquirem mais complexidade e as equipes se tornam mais diversas. Tal cenário abre espaço para o uso de soluções como plataformas de colaboração baseadas em nuvem (cloud computing).

Deixe-me abrir breves parênteses para explicar o que é a computação em nuvem:

Trata-se de uma tecnologia que permite o acesso e o armazenamento de dados em servidores compartilhados e interligados via internet. A solução permite às empresas contratar pacotes de serviços e infraestrutura ajustáveis às suas necessidades, diminuindo enormemente o custo de instalação.

Na indústria da construção civil ou pesada, onde normalmente os colaboradores estão dispersos em diferentes locais, tal portabilidade significa comunicação e compartilhamento de informações mais efetivos.

Além disso, os empreendimentos que utilizam uma plataforma de gestão de obras na nuvem conseguem centralizar todas as informações em relatórios facilmente visualizáveis. Você há de concordar que isso é imprescindível para uma boa gestão, não é mesmo?

Resumidamente, a tecnologia da informação em nuvem permite às empresas:

  • Gerenciamento online das atividades do dia a dia;
  • Reunir os projetos arquitetônico e complementares em um único local, favorecendo o controle de possíveis mudanças no escopo;
  • Compartilhar as informações do projeto entre os envolvidos, agilizando a comunicação;
  • Reduzir custos com aquisição e gerenciamento de TI.

2. A tecnologia reduz consideravelmente a incompatibilidade entre projetos

Se você trabalha na indústria da construção sabe muito bem que projetos bem compatibilizados são determinantes para evitar dores de cabeça com interferências no canteiro de obras. Também sabe o quanto isso é importante para evitar retrabalhos, reduzir prazos, além de minimizar desperdícios e custos.

Até pouco tempo, compatibilizar projetos representava um verdadeiro pesadelo para construtores e gerenciadores. Hoje, essa atividade foi simplificada com soluções como a modelagem 3D através do BIM (Building Information Modeling).

De uso consolidado nos Estados Unidos e na Europa, a plataforma BIM permite criar digitalmente modelos virtuais precisos de uma construção. Com isso, a compatibilização de interferências é automatizada, liberando o coordenador do projeto para a realização de serviços mais complexos, como controle de cronograma, por exemplo.

E fica ainda melhor: Alguns softwares de modelagem permitem que os modelos 3D sejam compartilhados e visualizados em qualquer lugar, inclusive no canteiro. Indo mais além, o projeto pode ser alterado ou atualizado em tempo real, à medida que os serviços são executados em campo.

Gostou? Se quiser saber como aproveitar-se melhor do BIM, não deixe de ler o Guia Completo sobre a Tecnologia BIM.

3. A tecnologia na construção reduz incertezas na tomada de decisões

Outro desafio que acompanha o dia a dia dos profissionais que atuam na construção é a necessidade de aumentar a assertividade na tomada de decisões. Também nesse ponto a tecnologia na construção pode ajudar. Sabe como?

Por exemplo, utilizando o Big Data Analytics, que consiste no trabalho analítico de grandes volumes de dados, estruturados ou não-estruturados, coletados, armazenados e interpretados por softwares de alto desempenho. O objetivo final desse trabalho é que o cruzamento das informações gere relatórios consistentes, que sirvam como uma bússola para tomadores de decisão.

O Big Data pode ser aplicado para:

  • Compilar dados para levantar comportamento e perfil do cliente, atributos do empreendimento, locais e regiões para desenvolvimento de novos produtos;
  • Coletar e consolidar dados para evitar falhas construtivas, acompanhar a implantação de novas tecnologias e reduzir custos no pós-obra;
  • Melhorar as vendas. A partir de base de dados de imobiliárias, construtoras, empreendimentos e regiões, permite identificar corretores com perfil qualificado para lançamentos e vendas de empreendimentos em uma determinada região;
  • Economizar. O Big Data em simulações avançadas pode reduzir o número de alterações em desenhos de produção e construção, com consequente redução nos custos.

4. A tecnologia melhora a rastreabilidade e o controle dos processos

Você certamente já ouviu falar sobre a Internet das Coisas, ou Internet of Things (IoT), em inglês. Este termo define um paradigma tecnológico no qual os objetos físicos estão conectados em rede e são acessados por dispositivos ligados à rede mundial de computadores.

Todas as indústrias devem ser impactadas com essa revolução. No caso da construção, uma série de aplicações de IoT vêm sendo trabalhadas, muitas delas relacionadas à etapa de uso e operação dos edifícios, em especial na gestão de utilidades.

Mas há um amplo potencial para aplicação da IoT também nas fases de projeto e execução das obras. Vamos a quatro exemplos:

  • Na logística, para gerenciamento de materiais e equipamentos;
  • Para melhorar o controle e segurança no trabalho;
  • Para incrementar o acompanhamento da obra;
  • Para controle de consumo de material, via etiquetas RFID (Radio Frequency Identification).

As etapas de controle de execução e de qualidade têm de tudo para serem beneficiadas com a implantação de soluções de Internet das Coisas. Quer ver apenas um exemplo? A inserção de sensores de temperatura na concretagem de lajes e pilares pode fornecer ao construtor um controle muito mais sofisticado do tempo de cura. É informação a serviço da qualidade da construção.

5. A tecnologia na construção impõe novos modos de execução

A impressão 3D, também conhecida como manufatura aditiva, está em fase embrionária no Brasil, com uso ainda limitado à prototipagem de maquetes arquitetônicas e estruturais. Mas o potencial de aplicação dessa tecnologia na construção é imenso, com alta probabilidade de modificar radicalmente a forma de se executar obras.

Para sermos objetivos, vamos focar no que é realidade. Já há startup brasileira projetando casas via manufatura aditiva. Também já existe uma máquina de impressão tridimensional para pavimentação de vias, desenvolvida para substituir o método manual de assentamento de blocos.

Conclusão

Ao longo desse artigo você teve a oportunidade de perceber que a maneira tradicional como as construções são projetadas e executadas está em plena transformação. Novos métodos, equipamentos e práticas serão necessários para responder a esse novo cenário.

Para os profissionais que atuam na indústria da construção, a exigência será cada vez maior por flexibilidade para congregar conhecimentos de outras áreas e ajustar-se às novas e mutantes formas de se produzir.

E aí? Como você está se preparando para essas mudanças? O que pensa sobre as inovações tecnológicas que listamos?

Se esse artigo foi útil de alguma forma para você, não deixe de compartilhar com seus amigos!

Foto do Autor

Autor
Juliana Nakamura

Redatora freelancer do Buildin

Comentários