6 dezembro 2018

Sem categoria

Casas modulares: saiba como agregam produtividade à construção

Original de Buildin
Casas Modulares - Tecverde montagem - Buildin
0

Talvez você ainda não tenha ouvido falar em casas modulares. No entanto, certamente sabe que construir mais em menor tempo é um desafio enorme, certo?

A dificuldade é ainda maior diante da necessidade de se garantir custos previsíveis, alta qualidade e sustentabilidade.

Além disso, você também deve estar vendo muitos especialistas comentarem sobre a urgência em abandonar modos de produção artesanal. A tendência é esquecer a construção tradicional. Ou seja, optar cada vez mais por métodos industrializados e pré-fabricados.

Se quiser referências, cito duas:

A primeira, o engenheiro Luiz Henrique Ceotto (ex Inpar e Tishman Speyer). Em entrevista recente ao Buildin, ele afirmou que “a baixa produtividade e a variabilidade da qualidade estão associadas à construção artesanal”. Ou seja, é preciso investir cada vez mais em engenharia civil.

Quem também defende a construção industrializada e modular é o engenheiro Jonas Medeiros. Para ele, “esta é a única maneira de romper com o ciclo de atraso tecnológico em que estamos no momento”.

Casas modulares

Foi em resposta à necessidade de racionalizar recursos e de aumentar eficiência que surgiram as casas modulares. Ou seja, se trata também de uma questão de eficiência energética.

Assim, estamos falando sobre edificações pré-fabricadas montadas a partir de módulos produzidos industrialmente sob rigorosos controles.

Segundo estudo da Turner and Townsend, a expectativa é a de que esse tipo de construção aumente globalmente 6% até 2022. Na Suécia, cerca de 84% das casas construídas são modulares com componentes de madeira.

Em palestra recente no Construsummit 2018, o CEO da Kasita, Jeff Wilson, compartilhou um pouco sobre sua experiência na construção de casas modulares nos Estados Unidos. Para ele, a casa é uma extensão do estilo de vida nas cidades.

A Kasita foi eleita pela revista Inc uma das 25 startups mais disruptivas do mundo. A empresa produz esse tipo de casa. Ou seja, residências inteligentes e tecnológicas de 37 m². As residências são fabricadas industrialmente e transportadas em caminhões de 18 rodas.

Casa modular da Kasita

A construção modular – que dá origem às casas modulares – pode ser aplicada com diversas finalidades. Ou seja, para fins comerciais, residenciais, hotelaria etc. Além disso, ela também não precisa se restringir a um material estrutural específico. Assim, a casa pode ser construída com concreto, aço e madeira, por exemplo.

No Brasil é possível encontrar empresas que trabalham com essa tecnologia. A Tecverde, por exemplo. A empresa paranaense utiliza sistema construtivo pré-fabricado baseado no wood frame.

Casa modular da Tecverde

Já a Mehta aposta, principalmente, no aço e no steel frame para construir módulos de diferentes tamanhos e configurações.

Casa modular da Mehta

Por que investir em construção modular?

Em uma apresentação realizada durante o Construtalk Floripa, o engenheiro Jonas Medeiros listou dez motivos que justificam a implementação da construção pré-fabricada no Brasil.

  1. Produto final com desempenho pré-testado e garantido;
  2. Redução substancial de ciclos, prazos na execução e custo global. Vale lembrar que a construção modular pré-fabricada está menos suscetível a fatores climáticos, uma vez que a fabricação de cada módulo ocorre dentro de um pátio fabril;
  3. Maior liquidez de vendas e menor curso do financeiro;
  4. Melhor previsibilidade de custo e prazo. Assim, a padronização dos projetos garante um alto ganho de eficiência com etapas e processos claros.
  5. Redução de mão de obra especializada no canteiro e, consequentemente, de seguros e passivos judiciais;
  6. Geração de empregos de melhor qualidade. Ou seja, o trabalho sai do canteiro para acontecer em uma indústria;
  7. Perdas de materiais próximas de zero;
  8. Processos de produção mais sustentáveis. Considerada como uma construção limpa, a construção modular reduz a geração de entulhos e o desperdício de materiais em até 1/3. Se quiser se aprofundar no tema sustentabilidade na construção civil, leia “Tudo sobre construção sustentável”, preparado pelo Buildin.
  9. Novas tecnologias permitem produção em massa customizada, móvel e expansível;
  10. Redução de serviços e custo pós-obra.

Conclusão

Ao longo desse post você viu que a construção modular pré-fabricada é uma tendência mundial com alto potencial de utilização no Brasil.

Essa tecnologia pode ser utilizada em moradias econômicas para ajudar a solucionar déficit habitacional crescente.

Também pode ser empregada na construção de casas de luxo, atendendo a requisitos de qualidade mais rigorosos.

Há, ainda, o grande potencial de aplicação em situações que demandam alta velocidade de execução e que permitam padronização, como em unidades de grandes redes comerciais.

As casas modulares representam uma das revoluções que estão ocorrendo na indústria da construção civil.

Antes de encerrar esse texto, gostaria de recomendar a você dois conteúdos complementares bastante enriquecedores.

O primeiro apresenta os apartamentos compactos desenvolvidos pela Vitacon e que propõem um modo inovador de viver em grandes centros urbanos.

O segundo é um artigo elaborado por  Jonas Medeiros com observações sobre o modo de construir japonês.

Esse post foi útil para você? Compartilhe suas impressões conosco!

Até a próxima!

Foto do Autor

Autor
Juliana Nakamura

Jornalista especializada no setor de construção civil, tem amplo conhecimento do mercado imobiliário e da engenharia civil. Sua experiência na cobertura de obras, debates e eventos do setor a torna um dos principais nomes do jornalismo especializado no Brasil!

Comentários