Uma senha sera enviada para seu e-mail

Você que é um profissional antenado, sabe muito bem que a evolução da construção civil passa, em grande medida, pela industrialização de processos construtivos, não é mesmo? Dentre eles, as casas pré-fabricadas!

Afinal, isso se estende também ao segmento residencial, com soluções modulares que chegam ao canteiro prontas para a montagem. Trata-se da chamada construção off-site.

Neste tipo de construção, as peças são transportadas até o local da obra e são montadas de acordo com o projeto, com o uso de mão de obra especializada.

Amplamente utilizadas em economias desenvolvidas, como no Japão, nos Estados Unidos e em países europeus, as casas pré-fabricadas são o tema do nosso artigo de hoje. Afinal, o que não faltam são oportunidades para adotar a construção modular pré-fabricada no Brasil, que pode ser uma alternativa para programas como o Minha Casa Minha Vida.

O objetivo é te apresentar os materiais existentes e discutir aspectos técnicos, financeiros e de operação. 

Continue conosco para saber mais:

Por que investir em casas pré-fabricadas?

De acordo com definição da ABCIC (Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto), a pré-fabricação é um método industrial de construção. Nele, elementos fabricados por métodos de produção em massa são montados na obra, mediante equipamentos e dispositivos de elevação.

Independentemente da matéria-prima utilizada, as casas pré-fabricadas estão associadas a uma série de vantagens em comparação às edificações construídas do modo tradicional, com alvenaria e concreto moldado in loco.

A seguir vou listar para você alguns desses benefícios:

Velocidade de construção

Como as peças chegam prontas ao canteiro e só é preciso montá-las, o tempo de obra é abreviado drasticamente. Há redução substancial de ciclos, prazos na execução, tempo de construção e custo global da edificação;

Redução de desperdícios

A construção pré-fabricada reduz enormemente a geração de entulho já que as peças são feitas sob medida e utilizadas integralmente na construção;

Sustentabilidade

A sustentabilidade na construção de casas pré-fabricadas é decorrente da diminuição do desperdício de material e da redução do uso de água na construção;

Desempenho

Quando bem projetadas, as casas pré-fabricadas resultam em produtos  de alta qualidade, com desempenho pré-testado e garantido;

Custo fixo

A construção com pré-fabricados possui um custo determinado no início do projeto de acordo com o layout, dimensões, quantidade e tipo de peças necessárias. Além disso, como há redução de mão de obra no canteiro, a obra está menos sujeita a passivos judiciais. Também há menos gastos com seguros;

Customização

As peças de casas pré-fabricadas funcionam quase como um quebra-cabeças. Assim, é possível pensar em variados layouts, tamanhos e formas de utilização;

Redução de serviços e custo pós-obra

Isso decorre da menor incidência de patologias pós obra.

Confira neste vídeo algumas vantagens associadas às casas produzidas industrialmente.

Soluções construtivas para casas pré-fabricadas

As casas pré-fabricadas podem se basear no uso de diferentes tipos de matérias-primas, da madeira ao aço, passando pelo concreto e por materiais plásticos. Em alguns casos, para assegurar estabilidade estrutural e desempenho, os materiais podem ser combinados. 

A seguir conheça um pouco mais sobre cada uma dessas soluções:

Madeira

Solução muito tradicional, as casas pré-fabricadas de madeira geralmente têm um aspecto rústico e uma aparência de casa de campo.

casas pré-fabricadas

No entanto, nos últimos anos, novas possibilidades ganharam protagonismo no quesito industrialização, com destaque para  o wood frame. Esse sistema construtivo é constituído de estrutura de perfis leves de madeira maciça de pinus, contraventados com chapas estruturais de madeira transformada tipo OSB (Oriented Strand Board).

De acordo com alguns construtores, o wood frame viabiliza a construção de uma casa completa de 200 m² em apenas 60 dias.

Além da velocidade de execução, uma vantagem do wood frame, em comparação às casas inteiramente de madeira, é o comportamento perante o fogo. Isso porque a madeira utilizada como estrutura interna de paredes ou tetos é protegida por materiais com maior resistência ao fogo, como placas cimentícias e painéis de gesso.

Plástico + concreto

Essa é outra tecnologia industrializada para a construção de casas. Consiste em um sistema composto por paredes portantes compostas, formadas por perfis de PVC preenchidos com concreto. As lajes de entrepiso e de cobertura são de concreto armado.

As paredes têm espessuras de 75 mm para casas térreas e 100 mm para casas de dois pavimentos. Os perfis de PVC são encaixados na vertical e escorados no alinhamento das paredes, criando uma forma para a concretagem. 

Com esse sistema, uma casa de 70 m² pode ser erguida em apenas 20 dias, com acabamento.

Casas com paredes de concreto

Nesse sistema construtivo, a vedação e a estrutura formam um único elemento. As paredes de concreto são moldadas in loco, com instalações elétricas, hidráulicas e as esquadrias pré-instaladas. O sistema é recomendável para empreendimentos com alta repetitividade e que precisam de velocidade de execução, como conjuntos habitacionais.

Uma experiência interessante nesse sentido e que mostra o potencial da combinação de soluções industrializadas foi a Casa 24 h, exposta na última edição da Feicon. Na ocasião foram combinados vários conceitos como produção off site, gestão lean e uso da metodologia BIM. Não deixe de conferir.

Light steel framing

Para a construção de casas com estrutura metálica, a solução mais recorrente é o light steel framing (LSF). Afinal, é sustentável em função da redução de desperdícios e da reciclabilidade do aço. Assim, essa tecnologia se baseia no uso de perfis de aço formados a frio como elemento estrutural.

casas pré-fabricadas

Amplamente utilizada no hemisfério norte, a construção com o steel framing se baseia na montagem de perfis de aço galvanizado conformados a frio com espessuras nominais normalmente entre 0,80 mm e 1,25 mm. Assim, os perfis são utilizados para compor painéis estruturais e não-estruturais, vigas secundárias, vigas de piso, tesouras de telhado e demais componentes. Para montantes e vigas, as seções mais usuais são as com formato em “C” ou “U” enrijecido. Da mesma forma, são utilizados perfis em “U” como guia na base e no topo dos painéis.

Contêiner naval

Com forte apelo ambiental, a construção de casas a partir de contêineres navais de aço também é um exemplo de pré-fabricação. Esses módulos chegam ao canteiro de obras praticamente prontos, com os vãos já recortados.

Afinal, isso garante uma obra limpa e com mínima geração de resíduos, baseada em um produto de reuso.

No vídeo a seguir você pode ver exemplos de aplicação de casas construídas com contêineres.

Se quiser conferir outra experiência interessante de pré-fabricação residencial, veja o vídeo a seguir. Ele mostra casas com pouco mais de 32 m², projetadas para serem fabricadas industrialmente e transportadas em caminhões de 18 rodas.

O criador dessa tecnologia, Jeff Wilson, esteve no Brasil em 2018 para falar sobre esse método de construção. Por isso, clique aqui se quiser saber mais sobre o Construsummit e a solução oferecida pela Kasita.

Considerações finais sobre casas pré-fabricadas

No post de hoje, você viu que há múltiplas tecnologias capazes de viabilizar a construção de casas pré-fabricadas no Brasil. Você deve ter notado que algumas dessas soluções, têm potencial, inclusive, para auxiliar o Brasil no enfrentamento do déficit habitacional.

Mas antes de me despedir, gostaria de indicar a você a leitura de alguns conteúdos interessantes produzidos pelo Buildin e que enriquecerão sua experiência:

E se você quiser se aprofundar ainda mais, sugiro também a leitura deste trabalho sobre o mercado de casas pré-fabricadas de madeira a região metropolitana de Curitiba.

Então este conteúdo foi útil para você? Não deixe de compartilhar suas impressões conosco no espaço de comentários. Se curtiu, compartilhe em suas redes sociais!

Até a próxima!