24 setembro 2018

Colaboradores

Conheça 5 cases de aplicação de sustentabilidade na construção

Original de Buildin
aplicação de sustentabilidade na construção
0

Você já sabe o quanto a sustentabilidade é um valor a ser buscado por quem projeta e constrói nos dias de hoje. Isso se deve a vários motivos. Primeiro pela necessidade de preservar recursos cada vez mais escassos na natureza. Depois por uma exigência crescente dos consumidores, que gradativamente tornam-se mais conscientes e vigilantes.

Em resposta a esse movimento, temos visto o número de edificações verdes crescer. São edifícios em diferentes escalas, com funções das mais variadas, mas que têm em comum soluções que visam garantir eficiência energética, uso racional da água e qualidade do ambiente interno.

Nesse post, você vai conhecer 5 projetos sustentáveis construídos recentemente no Brasil. A ideia é mostrar o que foi feito para que esses empreendimentos conquistassem certificados de sustentabilidade, alguns com pontuação máxima. Continue conosco:

1. Edifício administrativo da Natura – São Paulo, SP

Natura - Aplicação de sustentabilidade na construção

O edifício administrativo da fabricante de cosméticos Natura foi projetado pelos arquitetos do escritório Dal Pian Arquitetos e construído com três objetivos principais: integrar-se ao ambiente externo, aproveitar ao máximo a luz natural, e incentivar a interação social.

Isso levou a uma arquitetura que privilegia vidros nas fachadas, vazios que integram e o paisagismo, inserido em cada um dos pavimentos em forma de jardins escalonados.

Inaugurado em 2016, o empreendimento erguido às margens da rodovia Anhanguera, é detentor do certificado LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) na categoria Gold. O selo foi concedido pelo Green Building Council Brasil após avaliação dos seguintes itens: terreno sustentável; uso racional de água, energia e atmosfera; qualidade do ambiente interno; materiais e recursos; inovação em projeto; e prioridades regionais.

Alguns números ajudam a entender o grau de sustentabilidade atingido nesse projeto:

  • Na construção, 14% dos materiais utilizados tiveram conteúdo reciclado;
  • 41,2% do material empregado na obra foram extraídos e manufaturados em um raio de até 800 quilômetros, diminuindo a demanda por transporte e favorecendo o consumo local;
  • 100% da madeira incorporada na construção foram extraídas de forma legalizada e sempre que possível com certificação FSC (Forestry Stewardship Council);
  • 97% dos resíduos recicláveis gerados durante a obra foram desviados de aterro e encaminhados para reaproveitamento.

Se quiser conhecer mais detalhes sobre esse projeto, veja esse vídeo.

2. Edifício-sede da Rac Engenharia – Curitiba, PR

Inaugurado em 2017, o edifício-sede da Rac Engenharia obteve a certificação LEED Platinum com pontuação máxima na América Latina.

Entre os requisitos que possibilitaram tal resultado está o Net Zero Energia. Isso significa que edifício é capaz de gerar a energia que consome, inclusive para funcionamento de ar-condicionado e de elevadores.

Você quer saber como isso foi feito? Com a instalação de painéis fotovoltaicos na cobertura que permitem geração anual de 26.509 kW em condições climáticas normais da cidade.

O prédio utiliza soluções arquitetônicas comuns a outros edifícios sustentáveis, como brises nas fachadas e telhado verde.

Para racionalizar o uso de água, o prédio possui estação própria de tratamento de esgoto, que permite o reúso das águas cinzas e negras nos vasos sanitários, bem como da água da chuva. Outro fator que contribuiu para que o edifício obtivesse a nota máxima do selo de construções verdes foi a instalação de um ponto de recarga para carros elétricos.

3. Hospital Regional do Litoral Norte – Caraguatatuba, SP

Hospital em Caraguatatuba

Com inauguração prevista para o primeiro semestre de 2019, o Hospital Regional Litoral Norte conquistou a certificação AQUA-HQE (Alta Qualidade Ambiental) nas fases pré-projeto e projeto. O empreendimento faz parte do Projeto de Fortalecimento da Gestão da Saúde do Estado de São Paulo, financiado pelo BID e pelo Governo do Estado.

Nesse caso, entre as soluções empregadas para garantir maior sustentabilidade, destacam-se:

  • Aquecimento de água por energia solar;
  • Utilização de água de reúso nas bacias e jardins;
  • Cobertura verde;
  • Construção de bicicletário;
  • Utilização de produtos sustentáveis, como piso de borracha ou marmoleum (fibra natural);
  • Uso de pisos drenantes nas áreas externas;
  • Iluminação com lâmpadas LED;
  • Brises para redução da incidência solar nas faces leste e oeste;
  • Estudo prévio sobre a implantação do hospital na malha urbana e no terreno, garantindo acessibilidade ao empreendimento e otimização da climatização.

O empreendimento no litoral paulista foi projetado pelos profissionais do Fernandes Arquitetos Associados em parceria com a MHA Engenharia e contou com consultoria em sustentabilidade pela Inovatech.

4. Edifício Jacarandá – São Paulo, SP

Localizado em uma região densamente ocupada, na Avenida Luiz Carlos Berrini, o Jacarandá foi o primeiro edifício comercial no Brasil a receber a certificação LEED Core and Shell Platinum v3.

Projetado pelo arquiteto Carlos Bratke, falecido em 2017, e com consultoria de sustentabilidade do CTE, o prédio oferece a seus usuários fácil acesso a vários tipos de transporte coletivo.

Outras soluções impactantes para o empreendimento somar pontos para obter a certificação verde foram:

  • Construção de bicicletário com vestiários e armários para os ciclistas;
  • 100% dos estacionamentos nos subsolos, diminuindo as áreas pavimentadas, promovendo a minimização das ilhas de calor;
  • Instalação de coberturas verdes;
  • Especificação de materiais com alto índice de refletância solar;
  • Construção de 1.925 m² de áreas verdes que promovem a biodiversidade local;
  • Plano de gerenciamento de águas pluviais;
  • Sistema para coleta e tratamento de água cinza e água proveniente do dreno do sistema de ar-condicionado para fins não potáveis;
  • Simulação computacional para avaliar a eficiência energética do edifício;
  • Estratégias de racionalização de energia em toda a sua operação;
  • 93% dos resíduos gerados na construção foram destinados à reciclagem e reaproveitamento;
  • Uso de materiais com conteúdo reciclado e de origem regional, bem como de adesivos, selantes, tintas e revestimentos com baixo valor de Compostos Orgânicos Voláteis (COV);
  • Layout que permite aos ocupantes ter visibilidade das paisagens externas em todos os ambientes;
  • Implantação de lajes ajardinadas e pavimentos permeáveis, permitindo reduzir o escoamento pluvial para o sistema público em mais de 25%.

5. Edifício Aqwa Corporate – Rio de Janeiro, RJ

Edifício Aqwa Corporate

Um dos edifícios mais icônicos da região do Porto Maravilha, o Aqwa Corporate também é um case de sustentabilidade. O complexo corporativo triple A da Tishman Speyer foi concebido pelo arquiteto britânico Norman Foster, com a colaboração do escritório brasileiro RAF Arquitetura, para receber o selo de sustentabilidade LEED na categoria Gold.

Para tanto, foram adotadas uma série de soluções que adicionaram eficiência no uso de recursos naturais. Destacam-se entre elas:

  • Sistema de ar-condicionado com chillers em série, que consome menos energia;
  • Sistema de reaproveitamento de água da chuva para irrigação dos jardins;
  • Elevadores equipados com sistema de antecipação de destino de chamadas para racionalizar o consumo de energia e reduzir o tempo de espera das pessoas;
  • Construção de praça térrea integrada a um parque linear com 400 m de extensão.
  • Prevalência de sistemas construtivos industrializados, como estrutura de aço.

A fachada de vidro do Aqwa foi estudada e simulada à exaustão a fim de obter a melhor condição de conforto térmico nos interiores, sem comprometer a estética arrojada. Para minimizar o efeito indesejado da radiação, a solução encontrada pelos especialistas envolveu a combinação de faces com inclinações exatas e diferentes tipos de vidros refletivos de alto desempenho fixados em caixilhos de alumínio.

Conclusão

Os exemplos que citamos acima mostram que com esforço e conhecimento é possível aliar sustentabilidade ambiental ao negócio imobiliário. O que você achou do artigo? Se esse conteúdo foi útil para você, não deixe de compartilhar em suas redes sociais.

Antes de concluir, gostaríamos de sugerir a leitura desse outro texto publicado pelo Buildin e que explica como aplicar a sustentabilidade na prática.

Foto do Autor

Autor
Juliana Nakamura

Jornalista especializada no setor de construção civil, tem amplo conhecimento do mercado imobiliário e da engenharia civil. Sua experiência na cobertura de obras, debates e eventos do setor a torna um dos principais nomes do jornalismo especializado no Brasil!

Comentários