6 fevereiro 2019

Área de interesse

Construção off-site: o que é e como vai te ajudar a ganhar produtividade

Original de Buildin
Construção off-site - construção modular - casa modular - Buildin00
0

A evolução da construção civil brasileira passa pela transformação do canteiro de obras em uma linha de montagem. Isso é semelhante ao que ocorre em outras indústrias. E tem tudo a ver com construção off-site!

Afinal, essa é a saída para reduzir custos e prazos de execução, diminuir a demanda por mão de obra e o desperdício de materiais.

A construção industrializada baseia-se na aplicação sistemas pré-fabricados. Ou seja, que chegam ao canteiro prontos para serem montados. Assim, são esses elementos produzidos off-site (fora do canteiro) o tema do nosso texto de hoje.

Se você quer saber mais sobre construção off-site então siga comigo.

Construção off-site

“Problemas de infraestrutura, baixa produtividade no canteiro de obras e pouca digitalização são os maiores empecilhos para a construção civil crescer”, afirma Marcus Anselmo, diretor de Novos Negócios da Softplan e Advisor do Construtech Ventures.

A construção off-site é um processo no qual um edifício (ou parte dele) é construído fora do canteiro de obra de forma modular.

Ou seja, os componentes são produzidos em ambiente controlado, a partir de materiais consagrados (aço, madeira, concreto). Além disso, seguindo as mesmas normas e padrões daqueles construídos de maneira convencional.

Uma vez prontas, as partes são levadas para o canteiro onde serão montadas.

Assim, o resultado é uma edificação com as mesmas características das construções convencionais, com exceção da qualidade, que tende a ser melhor.

A solução é indicada até mesmo para a construção de casas modulares.

Construção off-site - construção modular - casa modular - Buildin

Motivos para adotar a construção off-site no Brasil

A construção off-site possui melhor controle de qualidade. Os módulos são produzidos em fábrica de forma seriada. Além disso, sem sofrer interferências por conta do clima ou de variações na produtividade dos trabalhadores.

Esse método de construir pressupõe transferir atividades que seriam executadas no canteiro para a fábrica.

“Estamos falando de projetos altamente detalhados e integrados em BIM (Building Information Modeling), componentes industrializados e customizados montados a seco, organização da cadeia de fornecedores e a utilização de tecnologia digital são meios necessários para viabilizar isso”, disse o engenheiro Jonas Medeiros, em entrevista recente ao Buildin.

Quer ver alguns motivos que justificam a implementação da construção modular pré-fabricada?

Vou te listar alguns:

  • Redução substancial de ciclos, prazos na execução e custo global;
  • Maior liquidez de vendas e menor curso do financeiro;
  • Melhor previsibilidade de custo e prazo;
  • Redução de mão de obra especializada no canteiro, seguros e passivos judiciais;
  • Geração de empregos de melhor qualidade (mais segurança e saúde);
  • Processos de produção mais sustentáveis e perdas de materiais próximas de zero;
  • Produção em massa customizada, móvel e expansível;
  • Redução de serviços e custo pós-obra.

Novas tecnologias estimulam a construção off-site

Uma característica importante da construção industrializada é que, uma vez iniciada a fabricação dos módulos, é difícil (e desvantajoso) alterar o projeto.

Nesse ponto, a tecnologia da informação tem muito a contribuir ao permitir aos projetistas a análise completa de diferentes aspectos da construção antes que a obra comece.

Destaque para a plataforma BIM. Além disso, para softwares que viabilizam simulações de desempenho da edificação. É o caso, por exemplo, de ensaios de túnel de vento, testes de carga e ensaios de ruptura. Isso antes mesmo de a montagem  começar.

Outras inovações na construção civil, como a impressão 3D e os robôs também devem favorecer a construção off site. No Brasil, a startup Inovatec House 3D já trabalha na impressão de módulos em microconcreto.

Alguns exemplos reais

O conceito de construção off-site pode ser aplicado em maior ou menor grau. Tudo de acordo com as características do projeto e o interesse dos empreendedores.

Há exemplos de construções inteiras produzidas fora do canteiro e transportadas em caminhões. É o caso das habitações fornecidas pela Kasita, nos Estados Unidos. O CEO da startup, Jeff Wilson, esteve no Brasil esse ano para participar do Construsummit.

No Reino Unido, a LHC é outra empresa que aposta na fabricação off-site para a construção de novas casas. Mais que isso, com boa qualidade, a preços acessíveis e construídas mais rapidamente.

O Japão é outro exemplo de construção off-site. No país asiático, o banheiro é comprado como unidade completa. A tecnologia é conhecida como unito basu (do inglês unit bathroom) 100 % pré-fabricada.

“Piso, paredes, teto, com estrutura, instalações e acabamento, metais sanitários e acessórios são comercializados juntos como um kit completo para montagem no local por mão de obra treinada. Em única loja, com uma única empresa, sob a égide de um único contrato”, revelou Medeiros em texto que vale a leitura “O que podemos aprender com o incrível banheiro japonês”.banheiro japoinês - construção modular - construção off-site - Jonas Medeiros

No Brasil, a Tecverde é uma das construtoras que propõem a construção off-site. A empresa oferece um processo de montagem que chega a ser quatro vezes mais rápido do que a alvenaria convencional baseado no uso do wood frame. “A construção civil do futuro tem como base a industrialização”, resumiu Vicente Pires Júnior, gerente comercial da Tecverde em palestra no Construtalk Florianópolis 2018.

Conclusão

Ao longo deste artigo, procurei te apresentar a construção off-site. Afinal, é uma das principais tendências nos países desenvolvidos. Além disso, essa metodologia pode contribuir, e muito, para resolver problemas crônicos da nossa construção civil. É o caso, por exemplo, da baixa produtividade e do elevado desperdício.

O que você achou deste artigo? Se esse conteúdo foi útil para você, não deixe de compartilhar em suas redes sociais.

Antes de concluir, gostaria de indicar a leitura de dois textos bastante ricos sobre construção off-site.

O primeiro traz quatro exemplos práticos de industrialização na construção. O segundo aborda uma série de tecnologias para industrializar a construção.

Não perca e até a próxima!

Foto do Autor

Autor
Juliana Nakamura

Jornalista especializada no setor de construção civil, tem amplo conhecimento do mercado imobiliário e da engenharia civil. Sua experiência na cobertura de obras, debates e eventos do setor a torna um dos principais nomes do jornalismo especializado no Brasil!

Comentários