14 março 2019

Sem categoria

Desperdício na construção para a Lean Construction (3/3)

Original de Buildin
lean construction - Aldo Mattos - produtividade - construção enxuta - destaque
0

Conforme já vimos anteriormente em outros posts, incluindo na definição dos princípios da lean construction, um dos enfoques da chamada construção enxuta é priorizar atividades que agregam valor. Por essa razão, cabe ao engenheiro eliminar as operações desnecessárias, que são aquelas que geram os principais desperdício na construção civil.

Afinal, o primeiro passo para quem quer aumentar a produtividade de uma obra é, justamente, levando em consideração os diversos tipos de desperdício de materiais e de serviços em canteiros de obras.

De acordo com estudo realizado pela Escola Politécnica da USP (Universidade de São Paulo), o desperdício na construção pode chegar a até 8% quanto aos materiais utilizados.

É preciso combater esses níveis de desperdício na construção.

Principais tipos de desperdício na construção

Agora, vamos aproveitar para relembrar quais são os 9 principais tipos de desperdício na construção civil na visão da lean construction (construção enxuta).

Eles são:

  1. Espera
  2. Movimentação
  3. Processos desnecessários
  4. Área inutilizada
  5. Transporte
  6. Estoque
  7. Produção excessiva
  8. Defeito
  9. Atraso
desperdício na construção - lean construction - Aldo Mattos

Já analisamos anteriormente, nos dois primeiros posts desta série, os seis primeiro itens dessa lista de desperdícios na construção:

  1. Espera
  2. Movimentação
  3. Processos desnecessários
  4. Área inutilizada
  5. Transporte
  6. Estoque

Portanto, na visão da lean construction, o último grupo de desperdícios na construção civil é composto pelos seguintes itens que serão o foco deste artigo:

  1. Produção Excessiva
  2. Defeito
  3. Atraso

Produção excessiva

A produção excessiva é um tipo de desperdício de constatação fácil ou difícil e que causa inúmeras perdas de materiais. Além disso, consome horas de trabalho que poderiam ser aplicadas em outras demandas dentro do canteiro de obras.

De qualquer maneira, é possível – e fácil – identificar a superprodução quando se nota visualmente que a equipe gerou mais produto ou realizou mais serviço que o necessário. Isso é um caso de desperdício na construção que leva a perdas financeiras por consumo excessivo de matéria prima e mão de obra.

desperdício na construção - lean construction - Aldo Mattos

É o mesmo caso, por exemplo, constatado quando se escava mais do que o projeto pede. Além de perdas materiais, este tipo de desperdício na construção leva a impactos ao meio ambiente. E isso ocorre especialmente se o material escavado em excesso tiver um destino inadequado, como uma várzea de rio ou nascente de água.

Outro exemplo típico de desperdício na construção ocorre quando a produção se dá de maneira muito antecipada à utilização. O problema, num caso como esses, é que a produção antecipada acaba por gerar estoque.

E estoque é custo, pois demanda espaço para armazenamento de materiais de construção e leva a movimentações não previstas. Veja os posts anteriores para entender como as movimentações desnecessárias são também importante fonte de desperdício na construção. E, por isso, são também alvo da lean construction.

Entretanto, há também um outro tipo de produção excessiva a ser combatida. E esta nem sempre é detectada à primeira vista:

  1. Concreto:pedido feito à concreteira de um volume superior ao necessário ou sem ter onde aplicar essa grande quantidade de material adicional
  2. Escavação: talude de vala mais abatido do que realmente requerido. Numa longa vala isso pode representar um volume considerável e impactar nos índices de produtividade ao longo da execução da obra

Defeito

Defeitos são erros que consomem dinheiro, tempo e requerem retrabalho. Ou seja, é preciso urgentemente evitar desperdícios como esse. Somente assim será possível melhorar os níveis de produtividade e evitar o desperdício na construção.

desperdício na construção - lean construction - Aldo Mattos

Assim, por mais óbvio que possa parecer, deve-se fazer certo da primeira vez. É necessário salientar que, nas obras muitos defeitos são sistemáticos. No entanto, a equipe de produção nem sempre divulga a solução encontrada e, com isso, impede a adoção generalizada das boas práticas na empresa.

Dessa maneira, os gestores devem estar atentos para promover uma sessão de lições aprendidas. Isso é fundamental para a definitiva incorporação do aprendizado obtido. Caso contrário, as demais equipes vão, inevitavelmente, continuar a causar danos semelhantes.

Ou seja, desperdício em dobro. Podemos notar que os sistemas de controle de qualidade são grandes responsáveis pela diminuição e atenuação dessas perdas

O grupo de defeitos listados a seguir que ocorrem numa obra – e que dizem respeito ao uso de materiais – é também um grave problema a ser combatido pela lean construction.

  1. Esquadrias: falta de estanqueidade;
  2. Fachadas: patologias, como fissuras e eflorescências;
  3. Pavimentação: abaulamentos em geral, trilhas de roda.

Atraso

O atraso é um tipo de desperdício na construção que acaba doendo muito no bolso de qualquer construtor. Afinal, é importante notar que, durante um atraso, existe ociosidade de diversas equipes de obra. Além disso, há gasto desnecessário de dinheiro e até mesmo a dilatação desnecessária do prazo total da obra.

desperdício na construção - lean construction - Aldo Mattos

Por isso, a grave questão do atraso nas atividades leva a alguns pontos muito importantes de reflexão sobre os impactos do desperdício na construção civil:

  1. Os atrasos podem ser fruto de falta de análise das restrições de cada serviço: projeto detalhado, equipe mobilizada, área liberada, material comprado e até mesmo questões relacionadas à segurança do trabalho;
  2. Muitos atrasos ocorrem porque o cronograma da obra não está devidamente atualizado. É importante, portanto, lembrar que contar com um cronograma factível e realista é uma ferramenta relevante de prevenção de atrasos e de desperdícios na construção civil;
  3. Havendo qualquer tipo de atraso numa atividade crítica do cronograma, a obra invariavelmente sofre impacto em sua duração total. Com isso, um atraso pode desencadear uma série de revisões de cronograma nas atividades subsequentes. Dessa maneira, recuperar o atraso deve ser uma meta a ser perseguida com muito afinco para evitar uma reação em cadeia desagradável.

Conclusões sobre desperdício na visão da lean construction

Como pudemos ver neste e nos demais artigos dessa série sobre lean construction, há 9 grandes causas de desperdício na construção civil. E, em muitos casos, o que entendemos por desperdício pode estar equivocado.

Afinal, a análise de cada um dos pontos levantados pela lean construction como desperdício na construção nos abriu os olhos para outros pontos de vista. Assim, pudemos ver que um atraso aparentemente pontual, por exemplo, pode ter consequências críticas para o restante da obra.

Da mesma maneira, vimos que não se pode negligenciar questões aparentementes secundárias, como a da movimentação em canteiro. Afinal, ao conceber o layout do canteiro de obras de forma equivocada uma série de desperdícios na construção pode ocorrer.

E, mais do que isso, estes não dizem respeito apenas ao tempo adicional gasto para o deslocamento de pessoas e materiais. As movimentações desnecessárias causam desperdício na construção também devido à quebra de materiais e ao incremento no risco de acidentes decorrentes de transportes, por exemplo.

Por isso, é fundamental encarar o desperdício na construção como algo muito impactante na produtividade geral de uma construção.

Somente com olhar atento para os 9 desperdícios na construção considerados pela lean construction poderemos promover uma verdadeira e significativa mudança nos níveis de produtividade da construção.

Confira os outros dois posts:

Desperdício na construção na visão da Lean Construction – Parte 1

Desperdício na construção na visão da Lean Construction – Parte 2

Antes de terminar, gostaria de saber quais desses 9 aspectos foram relevantes para você? O que você aprendeu com essa série de posts?

Deixe seus comentários abaixo.

E, caso tenha gostado desses artigos, curta e compartilhe com toda a sua rede de contatos.

Até a próxima!

Foto do Autor

Autor
Aldo Dórea Mattos

Uma das maiores autoridades brasileiras em Planejamento, Orçamento e Controle de Obras é um especialista Buildin. Neste espaço ele compartilha sua experiência como engenheiro e advogado ao abordar temas como engenharias de custos, planejamento, estimativas, cronograma, validação de custos, gestão de contratos, arbitragem, gerenciamento de risco, litígios e muito mais!

Comentários