Uma senha sera enviada para seu e-mail

Você sabe que a definição da melhor solução estrutural para um empreendimento é uma etapa crítica para assegurar a viabilidade financeira do negócio?

Afinal, além de impactar o desenvolvimento dos demais subsistemas, a estrutura responde por cerca de 20% a 30% do custo de construção do edifício.

Para estruturar seus projetos, construtores e projetistas têm à disposição uma série de possibilidades. Entre elas, a estrutura metálica, o concreto moldado in loco, o concreto pré-fabricado, a alvenaria estrutural e, ainda, os sistemas mistos, que combinam aço e concreto, por exemplo.

Mas como realizar uma comparação justa entre essas alternativas. Ou seja, levando em conta as variadas necessidades de cada obra e as características de cada sistema?

Nesse post, procuramos responder essa pergunta.

Continue conosco!

O que considerar na hora de comparar soluções estruturais?

Para começo de conversa, é preciso entender que há uma hora certa para a definição do sistema estrutural. Não adianta fazer isso quando o projeto de arquitetura, já está pronto.

O melhor momento para essa tomada de decisão é durante o estudo de viabilidade e a definição da concepção, quando a possibilidade de interferência ainda é alta.

Além disso, a definição da solução estrutural deve ter como objetivo principal cumprir os requisitos mais importantes em função das particularidades de cada projeto.

Quer ver um exemplo? Em uma área comercial para locação, o prazo de execução tende a ser um fator de alta importância para garantir o rápido retorno do investimento. Já em um centro de distribuição, a obtenção de amplos vãos livres e de um pé-direito generoso é de máxima relevância para viabilizar a operação, diferente do que ocorre em edifícios comerciais destinados a consultórios e que, por isso mesmo, são mais compartimentados.

Por isso, vale um esforço para listar e hierarquizar todos os requisitos exigidos, definindo um peso para cada um deles de acordo com a sua importância para o sucesso do empreendimento.

De modo geral, são aspectos que impactam a tomada de decisão:

  • Custo global;
  • Tipo de fundação;
  • Tempo de construção;
  • Local da obra;
  • Necessidade de adaptações futuras;
  • Vãos livres necessários;
  • Preocupação ambiental;
  • Estética desejada;
  • Interferências em áreas vizinhas.

Diferenciais competitivos

Um dos paradigmas relacionados à estrutura metálica diz respeito ao seu custo. Este muitas vezes é entendido como mais alto em comparação a outros sistemas estruturais artesanais.

Tal percepção se explica porque, na maioria das vezes, se analisa apenas o custo específico da estrutura metálica, não levando em consideração os ganhos indiretos.

Considerando que a busca pelo melhor sistema estrutural é resultado de uma análise global de fatores, detalhamos abaixo sete características inerentes às estruturas de aço que, quando bem articuladas, ajudam a viabilizar o empreendimento.

Confira a seguir!

  • Maior leveza estrutural = menos custo com fundações

As estruturas de aço pesam de seis a dez vezes menos que as estruturas de concreto (sem as lajes) e implicam em reduções nas cargas verticais da ordem de 20%.

Isso pode representar estacas a menos no projeto de fundações e reduzir significativamente os custos com essa etapa. Já pensou nisso?

Outros ganhos podem vir, ainda, do uso de estacas com perfis metálicos. Essas, em comparação às equivalentes de concreto pré-moldado, proporcionam maior velocidade de execução e menos transtornos à vizinhança.

  • Obra mais ágil = retorno mais rápido do investimento

Por ser uma solução industrializada, uma das principais características da estrutura metálica é a rapidez de montagem. Via de regra, quanto menor o tempo de execução, melhor.

Primeiro porque isso permite reduzir os custos indiretos que são função do tempo de construção. Ou seja, mobilização de mão de obra, aluguel de equipamentos, custos administrativos etc.

Além disso, o prazo de execução mais enxuto garante o retorno mais rápido do capital investido. Em casos de empreendimentos vendidos com data de entrega futura, o maior controle sobre os prazos de execução proporciona a postergação do início das obras e a possibilidade de se trabalhar com fluxo de caixa mais positivo.

  • Estrutura mais esbelta = mais área útil e comercializável

As seções dos pilares e das vigas de aço são substancialmente menores do que as equivalentes em concreto. Com isso, tem-se um melhor aproveitamento do espaço interno e o aumento da área útil.

Em empreendimentos residenciais e comerciais tal ganho pode se refletir em mais área útil comercializável e em vagas de garagens. Vale lembrar que a estrutura de aço, por sua esbelteza associada à alta capacidade de suporte de cargas é uma opção muito competitiva para a construção de edifícios-garagem.

  • Precisão geométrica = menos retrabalhos

Por serem concebidas e executadas com precisão milimétrica, as estruturas metálicas têm montagem simplificada e simples interface com os demais subsistemas. Atividades como a colocação de esquadrias, instalação de elevadores e assentamento de revestimentos são favorecidas com uma estrutura perfeitamente aprumada e nivelada.

Isso se reflete em ganhos que precisam ser levados em conta. Alguns deles são maior produtividade, economia com materiais e a qualidade.

  • Estrutura metálica = solução estrutural ajustável às demandas

A estrutura metálica costuma ser muito competitiva em projetos que precisam ser construídos em condições desafiadoras. É o caso de obras em terrenos pequenos, com área de canteiro limitada, ou que precisam conter interferências e transtornos à vizinhança.

A ampliação do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, é um case que mostra a importância do aço para lidar com essas condições de produção mais adversas.

A estrutura metálica também é o sistema construtivo indicado em projetos que precisam ser realizados visando ampliações e modificações futuras. O aço estrutural permite que tais modificações e acréscimos de área aconteçam com poucos transtornos operacionais. Ou seja, diferentemente do que ocorre com o concreto moldado in loco e com a alvenaria estrutural.

Não à toa, a estrutura metálica é uma solução muito aproveitada em empreendimentos industriais e em obras de retrofit.

  • Canteiro de obras em ordem = mais produtividade e menos acidentes

A estrutura de aço permite transformar o canteiro de obras em uma verdadeira linha de produção. As peças são produzidas na fábrica em medidas específicas para atender ao projeto. Ou seja, chegam à obra prontas para a montagem.

O método de execução controlado, a maior limpeza do canteiro e a menor geração de entulho se traduzem em maior produtividade. Além disso, ajudam a minimizar o risco de acidentes no trabalho.

  • Sistema industrializado = sustentabilidade

Em um edifício erguido com uso de concreto moldado in loco, por exemplo, o desperdício de materiais pode chegar a 25% em peso.

A estrutura metálica, por sua vez, garante níveis mínimos de perdas, justamente por ser industrializada. Para completar, o aço é 100% reciclável. Ao final de sua vida útil, a estrutura metálica pode ser desmontada e reaproveitada em outras aplicações.

Conclusão

Poderíamos citar mais uma série de fatores capazes de tornar a estrutura metálica mais competitiva para a construção de edifícios. Mas já deu para perceber que o aço, quando bem utilizado em suas diversas aplicações, pode proporcionar múltiplas vantagens técnicas e financeiras aos projetos.

E aí, gostou desse conteúdo?

Se esse post foi útil para você não deixe de curtir, comentar e compartilhar!

Se você tiver interesse em informações mais detalhadas sobre a metodologia para comparação de sistemas estruturais, baixe o nosso e-book.

E se você quiser ir mais além e aprofundar seus conhecimentos sobre as estruturas de aço, não pode perder o webinar sobre construção metálica que o Buildin promoverá no próximo dia 4/12. Faça já a sua inscrição.

E-book – Viabilidade Financeira de Estrutura Metálica

Como viabilizar financeiramente o uso de estrutura metálica

[contact-form-7 404 "Not Found"]