4 fevereiro 2019

Internacionais

Quatro Lições de Ética Fundamentais para Engenheiros

Original de Buildin
0

Por Griffin Brumbaugh

Aqui estão quatro as lições de ética presente nesses vídeos:

1. Nunca deixe um engenheiro responsável por provar que algo irá falhar

Ônibus espacial Challenger explode no ar, em 1986, após requisitos de segurança serem deixados em segundo plano

Ônibus espacial Challenger explode no ar, em 1986, após requisitos de segurança serem deixados em segundo plano

Em 28 de janeiro de 1986, a previsão do tempo em Orlando, FL, previu uma frente fria que poderia ter temperaturas próximas a -8ºC na manhã em que ônibus espacial Challenger estava previsto para ser lançado.

A temperatura fora da faixa de temperatura adequada associada à emoção e às pressões em torno do lançamento colocaram a necessidade de cumprir os prazos de lançamento acima do protocolo de segurança.

Allan J. McDonald, ex-diretor do projeto Space Shuttle Solid Rocket Motor, defendeu aquilo em que acreditava e cumpriu com sua obrigação moral de informar a seus superiores e à NASA. Para ele, o lançamento era muito perigoso.

“Nunca coloque um engenheiro para provar que algo pode falhar. Os engenheiros têm a obrigação moral de provar que alguma coisa é segura “, disse McDonald, cujo conselho foi ignorado naquele dia, com consequências trágicas.

Link do vídeo (em inglês): https://youtu.be/QbtY_Wl-hYI?list=PLA61bxD8Jg-1qNd6xBY6A4_mD-fOOMwAI

2. A segurança é um obstáculo

A pressão para obter retorno sobre o investimento pode pesar sobre engenheiros encarregados de determinado projeto. Deborah Grubbe, P.E., CEng., ex-diretora de segurança da BP e DuPont, insiste que nenhuma promessa deve ser feita a acionistas e diretoria se há conflito com a segurança e a integridade de um projeto.

Grubbe acredita que, se a administração não ouvir os assessores técnicos, as empresas podem gastar muito tempo e grandes somas de dinheiro para corrigir catástrofes que poderiam ser evitadas, como a explosão da plataforma petrolífera Piper Alpha.

Ela acredita que os executivos, por vezes, perdem a noção de que eles ainda podem ter mais coisas para aprender. Aqueles que acreditam que estão além da aprendizagem colocam-se na posição de cometer erros pelo caminho. “Toda pessoa deveria ser capaz de parar a produção em nome da segurança”, disse Grubbe.

Para as empresas melhorarem a segurança, Grubbe acredita que é essencial que engenheiros, gestores e o público pensem de maneira diferente. “Você está disposto a mudar seus padrões de pensamento?”, perguntou Grubbe em Ethics Case Study 2.

Link do vídeo (em inglês): https://youtu.be/0DYHmpI20lI?list=PLA61bxD8Jg-1qNd6xBY6A4_mD-fOOMwAI

3. Às vezes, o pensamento de grupo não é o “pensamento correto”

“Mesmo se todo mundo fizer isso, se você não sentir que é certo, provavelmente não é certo”, disse Terry Niemeyer, P.E., membro da Sociedade Americana de Engenheiros Civis, CEO da KCI Technologies.

Uma cultura de trabalho ideal é guiada por boas práticas, mas muitas vezes ela é guiada por tradição. Niemeyer descreve como o pensamento de grupo e as tradições do local de trabalho podem levar um indivíduo pelo caminho moral errado.

Ele observa que as pressões financeiras e ambientais podem levar engenheiros a subverter obrigações éticas no anseio da competição do trabalho.

Link do vídeo (em inglês): https://youtu.be/nrhoG4D6b64?list=PLA61bxD8Jg-1qNd6xBY6A4_mD-fOOMwAI

4. Comunicação é vital

Para os engenheiros, a falta de comunicação pode ter consequências devastadoras. Os engenheiros são responsáveis pela vida das pessoas. Por isso, devem assegurar que os protocolos de segurança sejam mantidos e comunicados a todos os participantes do processo, desde a concepção até a entrega.

No caso de o colapso da passarela Kansas City Hyatt Regency, em 1980, o engenheiro não atingiu as expectativas. As plantas do projeto foram concluídas sem qualificações ou restrições aunto à presunção de responsabilidade por parte do engenheiro.

Apenas um ano após a abertura da passarela, o segundo e o quarto andares ruiram sob o peso de pessoas dançando, matando 114 pessoas.

Link do vídeo (em inglês): https://youtu.be/98l3Us8IU-I?list=PLA61bxD8Jg-1qNd6xBY6A4_mD-fOOMwAI

Você pode ler o texto original, em inglês, aqui!

Foto do Autor

Autor
Buildin

O Buildin é uma plataforma onde especialistas da construção fazem curadoria dos melhores conteúdos online sobre a indústria da construção.