Uma senha sera enviada para seu e-mail

A construção civil foi um dos últimos setores a embarcar na transformação digital e a aplicar TI (Tecnologia da Informação) em suas atividades. Um estudo recente da Harvard Business Review apontou o setor como o segundo pior em termos de adoção de tecnologias digitais em seus processos de negócio.

Mas, hoje em dia, já há um consenso em relação à importância da TI para o setor. E será cada vez mais comum o uso de tecnologia e inovação entre construtoras e incorporadoras.

O movimento tem sido puxado pelas startups do setor, as construtechs. Numa definição mais completa do termo construtech, podemos entender como: um negócio de base tecnológica que atende problemas da cadeia de valor da construção em um modelo de negócio escalável e repetível.

Trata-se de usar a TI na construção além de softwares de gestão. Estamos falando da combinação de metodologias, processos e, principalmente, TI, para tornar projetos mais enxutos, eficientes e lucrativos.

TI aplicada na construção civil – Conheça 8 diferentes usos

Para você entender como esta nova realidade afeta seu trabalho e/ou empresa, nós separamos as principais tecnologias e suas aplicações na construção civil.

Vamos apresentar 8 aplicações de TI, algumas já em larga escala e outras ainda incipientes, as chamadas tecnologias disruptivas. Acompanhe:

1- Sistemas de gestão

Quando falamos em uso de TI na construção, uma das primeiras coisas que pensamos são os sistemas de gestão integrada, os ERPs. Facilitam a gestão de projetos e obras e proporcionam um nível de planejamento até então inimaginável na construção.

Independentemente do porte da construtora, ter uma obra plenamente conectada pode ser fundamental para a sobrevivência no setor. Por isso, destacamos quatro aplicações essenciais dos ERPs:

  • Facilita a gestão diária da empresa;
  • Integra processos, setores e pessoas numa única plataforma;
  • Modelagem financeira de uma obra com mais precisão;
  • Maior assertividade na compra de materiais e dimensionamento de mão de obra.

A gestão móvel das obras, via app pelo celular, também é uma realidade e tende a se consolidar ainda mais em 2018.

2- BIM  

Uma das principais aplicações de TI na construção é o uso do BIM (Building Information Modeling). De fato, não se trata de uma novidade no mercado. Estamos falando de uma realidade. Inclusive, recentemente, o Buildin reuniu grandes especialistas para discutirem o panorama da metodologia no Brasil.

O BIM proporciona o trabalho colaborativo entre projetistas e auxilia o desenvolvimento do projeto à execução. Trata-se de uma metodologia e não do software em si, como é o caso do Revit, um dos mais conhecidos do mercado.

Tal metodologia consiste em criar um modelo de informação de um projeto em 3 dimensões. A grande novidade em torno do BIM é que, em breve, deveremos ter o BIM 5D, que deverá trazer recursos de realidade virtual e aumentada.

3- Armazenamento em nuvem

A utilização da TI na construção traria, obviamente, um grande volume de dados online. Por isso, o armazenamento de dados em nuvem se tornou fundamental. É uma forma de se ter informações sempre atualizadas e organizadas, o que facilita o cruzamento de dados em tempo real.

Com as aplicações de TI, os projetos estão cada vez mais complexos. Imagine, por exemplo, a gestão de um projeto de BIM por equipes localizadas em diferentes lugares. Ou diferentes setores da construtora com acesso a uma mesma planilha de gastos. Como evitar discrepância de dados após cada modificação?

Por isso, uma simples solução de nuvem pode proporcionar o compartilhamento em tempo real de dados do projeto para qualquer lugar.

Assim, fica mais assertiva e eficiente a administração dos projetos em todas as etapas, os fluxos de trabalho, sem contar a segurança e transparência. Há muitas vantagens em utilizar cloud para armazenamento de dados.

4- Internet das Coisas

Antes de falarmos da aplicação de IoT (Internet of Things) na construção, vamos entender do que se trata e por que ela é tão importante. A IoT pode ser definida como a comunicação entre máquinas via internet.

A Internet das Coisas permite que diferentes objetos (carros, máquinas, bens de consumo etc.) compartilhem dados e informações para concluir determinadas tarefas. A base para o funcionamento da IoT são sensores e dispositivos, que tornam possível a comunicação entre as “coisas”.

Com tantos dados circulando, é preciso um sistema de computação para analisá-los e gerenciar as ações de cada objeto conectado a essa rede. Complexo? Então, olha essa: até 2020, teremos mais de 34 bilhões de aparelhos conectados, segundo o Gartner. Haja dado!

Mas como aplicar a IoT no setor da construção? Vamos listar algumas aplicações a seguir:

  • Saber em tempo real o que está acontecendo em cada ponto do canteiro;
  • Automatizar processos de pedidos de materiais;
  • Controlar procedimentos de segurança do trabalho;
  • Gerenciar riscos, manutenção de equipamentos e inventário de materiais;
  • Monitoramento de produtividade, qualidade e segurança da mão de obra.

Tais aplicações são específicas para a obra. Agora, se pensarmos nos imóveis prontos, as possibilidades são ainda maiores.

5- Machine Learning

Este é, sem dúvida, um fato relevante para a TI. Relacionado à Inteligência Artificial e à Deep Learning, podemos entender, de maneira básica, que Machine Learning é a capacidade dos computadores “pensarem”.

As máquinas aprendem com experiências anteriores a para processar grande volume de informações. A TI possibilita o uso de algoritmos para coletar dados, aprender com eles, e então fazer uma determinação ou predição sobre alguma coisa no mundo.

Mas o que você precisa entender é como aplicar machine learning na construção civil, certo? Para facilitar esse entendimento, vamos exemplificar com o case da Smartvid.io.

A Smartvid.io lançou recentemente uma plataforma que agrega dados visuais do canteiro de e os analisa de forma inteligente. A plataforma gera insights sobre segurança, qualidade, uso de equipamentos e rastreamento de progresso da obra. Assim, possibilita inspeções digitais, sem o trabalho manual e presencial de um profissional.

6- Impressão 3D

A aplicação de TI na construção também tem relação com a Impressão 3D. É o processo de criação de um objeto físico tridimensional camada por camada, a partir da projeção digital desse mesmo objeto.

Já pensou construir um imóvel utilizando Impressão 3D? Parece algo distante, mas não é. A empresa russa Apis Cor utiliza impressora 3D e constrói casas em 24 horas. As peças impressas são montadas no próprio canteiro.

A impressora 3D ergue a estrutura a partir de um ponto central e trabalha fundações, sustentação, divisórias, paredes e o que mais for necessário. As casas de 38m² têm expectativa de usabilidade de até 175 anos e custam cerca 10 mil dólares cada.

No Brasil, esta aplicação de tecnologia tem sido iniciada com a criação de impressoras 3D. A startup Inovahouse 3D é um exemplo e trabalha para, em breve, imprimir em concreto.

Quando esta aplicação ganhar escala, teremos uma indústria mais econômica, eficiente e produtiva. Em países como EUA e China, a impressão 3D já é realidade; no Brasil, trata-se de uma grande oportunidade para inovar.

7- Realidade Virtual, Aumentada e Mista

Impossível falar da utilização da TI na construção sem citar a Realidade Virtual. Resumidamente, é uma tecnologia de interface com potencial de “enganar” os sentidos de um usuário, utilizando elementos capazes de formar um ambiente virtual.

Temos ainda a realidade aumentada (AR — Augmented Reality) e a Realidade Mista (Mixed Reality). Enquanto o objetivo na realidade virtual é trazer a pessoa para imersão em um ambiente simulado (virtual), na realidade aumentada o intuito é o contrário. A busca é por trazer elementos digitais projetados em um ambiente real.

Já a Realidade Mista é uma combinação de elementos virtuais interagindo com elementos reais. Estamos, então, falando de três tecnologias: realidade virtual, aumentada e mista. A seguir, vamos mostrar, na prática, como elas podem ajudar a indústria da construção:

  • Design de projetos: Com a realidade virtual é possível fazer uma imersão, simular diferentes conjuntos de elementos e antecipar problemas.
  • Experiência ao cliente: imagine demonstrar ao cliente o conceito por trás de um projeto, com uma simulação em um ambiente virtual, muito antes da obra ser executada.
  • Manutenção: Com a realidade aumentada será possível trazer as informações de projeto e instruções de manutenção para o contexto adequado. Você conseguirá visualizar onde a tubulação está passando na parede e ter instruções relevantes para a melhor execução do trabalho.
  • Treinamento: Simule cenários desejados e permita ao profissional desenvolver suas habilidades em um contexto muito próximo do que irá encontrar no dia a dia.
  • Tour virtual nos imóveis: A realidade virtual pode, com o tempo, chegar a um grau de perfeição capaz de permitir que as pessoas se sintam visitando o imóvel.
  • Projetos de Decoração: A partir de uma biblioteca de objetos, será possível visualizar diferentes combinações antes de se efetuar uma compra ou modificação no ambiente.

Para saber ainda mais sobre realidade virtual, aumentada e mista na indústria da construção, leia o artigo completo de Bruno Loreto, Head do Construtech Ventures, no Medium.

8- Robótica

Por fim, mas não menos importante, vamos entender a aplicação da Robótica na construção civil. Você já deve ter lido que o futuro da construção passa pelo uso de robôs nas obras. E isso pode ser uma grande verdade, sim.

Temos alguns exemplos pelo mundo, como é o caso do robô projetado pelo Laboratório de Robótica (ADRL), da Suíça. Chamado de Fabricador In Situ, é um robô completamente autônomo, capaz de manipular diversos materiais de construção, trafegar por terrenos diferentes e disformes e adaptar-se rapidamente a tarefas divergentes.

O grande diferencial do robô é um avançado sistema de inteligência artificial que elimina qualquer necessidade de intervenção humana. Isso proporciona execuções mais rápidas e com precisão milimétrica, evitando erros e retrabalhos.

No Japão, a Kajima Corporation utiliza caminhões de carga, pás carregadeiras e rolos compactadores controlados por GPS, acionados remotamente por um funcionário. Um robô também é responsável pelo manuseio de barras de aço mais pesadas.

Conclusão

É notória a importância da tecnologia da informação para a construção civil. O setor, tido por muito tempo como artesanal, tem agora a oportunidade de se reinventar e embarcar na revolução tecnológica.

Todas as etapas de uma obra, do projeto à execução, podem ser beneficiados. As construtechs estão aí para provar isso. Aqui nós selecionamos apenas 8 exemplos de aplicações de TI na construção, mas há muito mais coisas a serem desenvolvidas.

Tudo caminha para termos um setor cada vez mais eficiente e produtivo, sem retrabalhos e desperdícios. Pode parecer distante da nossa realidade, mas não está.

Agora, conte-nos: quais outras aplicações de TI na construção você conhece ou gostaria de conhecer mais?

Comente e compartilhe esse post!

E assine nossa newsletter para continuar sabendo novidades sobre as aplicações da TI na construção civil.