Uma senha sera enviada para seu e-mail

Aa diversas alternativas para encaminhar problemas de habitação na baixa renda no Brasil. Esta foi a temática principal de um dos debates realizados na primeira edição do Construtalk Floripa, realizado em setembro de 2018.

Dessa maneira, os profissionais que participaram do debate trouxeram à mesa várias provocações. Sempre relacionadas acerca do que, de fato, deve ser solucionado com prioridade na construção civil.

Entre os participantes do debate, estavam:

problemas de habitação

União de forças

“Quando vamos juntar essas cabeças ótimas para resolver os problemas de habitação da baixa renda? Estamos resolvendo problemas que não são os mais importantes”, afirmou Fernando Assad, do Programa Vivenda.

Ana Maria foi quem fez a moderação do debate. Para ela, a grande intenção por trás de um debate desse tipo é propor aos profissionais para que olhem para seus próprios negócios e façam mudanças, mesmo que elas sejam pequenas.

Ou seja, que “tragam as empresas de vocês para esse cenário da baixa renda. Voltem os olhares de vocês para esse mercado porque é um excelente mercado”, aconselhou. Assim, ela assegura que há muitas oportunidades de negócio para quem foca em resolver os problemas de habitação brasileiros.

Problemas de habitação no Brasil são monumentais

Para você ter uma ideia, atualmente, existem 52 milhões de brasileiros vivendo abaixo da linha da pobreza. Há um déficit de 7,7 milhões de moradias no Brasil, segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) de 2017. Ou seja, é um problema que atinge grande parte da população brasileira, mais de 30 milhões de pessoas em todo o Brasil.

Além disso, segundo dados de estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quase 40% das moradias existentes em áreas urbanas são inadequadas no Brasil.

O IBGE mostra, ainda, outros dados muito relevantes relacionados a problemas de moradia. De acordo com a entidade, 8,3 milhões dessas moradias estão em áreas de risco de desastres naturais. Além disso, 91% do déficit habitacional é de famílias com até três salários mínimos. Isso significa que os problemas de habitação se concentram na baixa renda.

problemas de habitação

Mais do que isso, estes problemas de habitação atingem a maior parte das cidades brasileiras. Assim, incluem metrópoles, como São Paulo e Rio de Janeiro, que têm gravíssimos problemas de habitação com os quais lidar.

Ou seja, os problemas de habitação tendem a se agravar conforme se intensifica o processo de urbanização no País.

Oportunidades na baixa renda

Diante de todos esses dados, fica evidente que fechar os olhos para a baixa renda é um erro. Assim, para Dorly Neto, da Artemísia, “a coisa mais importante quando se fala em resolver o problema de habitação na base da pirâmide é olhar com cuidado e intencionalidade”.

Isso porque o público de baixa renda possui demandas e motivos diferentes para não conseguir construir. “Uma pessoa de baixa renda não consegue fazer uma obra, porque ela tem entraves para conseguir financiamento e acessar mão de obra qualificada”, disse Dorly.

problemas de habitação minha casa minha vida

Dessa maneira, um dos pontos levantados durante o debate foi de ordem estrutural. Ou seja, de que o primeiro passo para resolver os problemas de habitação na base da pirâmide vem de grandes empresas e governo.

São estes atores do mercado imobiliário que, na visão dos debatedores, precisam olhar para os problemas de habitação do mercado de baixa renda como uma oportunidade.

“É preciso enxergar as pessoas de baixa renda como um público a ser atendido, um público que precisa ser atendido e um público que, se for atendido, vai suprir as expectativas” garantiu Dorly.

Confira os depoimentos de Dorly Neto e Luis Fernando Guggenberger, gerente de inovação e sustentabilidade da Vedacit, sobre as seguintes questões:

  1. Como mudar o mindset da Construção Civil para que se atentem mais ao lado social do setor?
  2. Como as startups podem ajudar a resolver os problemas de habitação na baixa renda?

Conclusões

Ao longo deste post pudemos ver como os problemas de habitação no Brasil são grandes e estruturais. Assim, mais do que apresentar um cenário sombrio e preocupante, a ideia é jogar luz sobre oportunidades relacionadas ao déficit habitacional brasileiro.

Por isso, procuramos mostrar quais são os caminhos que já vêm sendo trilhados por empresa e profissionais do setor. Além disso, pontuamos algumas iniciativas do governo e do serviço público, especialmente bancos, como a Caixa Econômica Federal.

Compartilhe este texto em suas redes sociais!

Sobre o Construtalk Floripa

O Construtalk é uma série de eventos itinerantes que discute inovação e tecnologia na construção civil. Em suas quatro edições realizadas em 2018, reuniu profissionais do setor para debater assuntos diversos relacionados a estes temas.

Assim, a 1ª edição aconteceu em Belo Horizonte, a 2ª em Goiânia e a 3ª na cidade de Recife. A quarta edição, que recebeu este debate, foi realizada na sede da Softplan, em Florianópolis. O Construtalk é realizado pelo Buildin.

Com saldo positivo para os envolvidos, o Construtalk Floripa teve um público formado, em sua maioria, por decisores. Ou seja, pessoas que têm poder direto na mudança de mentalidade da construção civil em relação ao uso de inovação e tecnologia.

A proposta do evento foi mostrar e debater o panorama de inovações e tecnologias disruptivas que impactam o setor. Assim, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer cases reais de empresas tradicionais que vêm quebrando velhos paradigmas.

Do outro lado, construtechs também estiveram presentes. Dessa forma, mostraram o que as startups estão fazendo para transformar o mercado da construção. Para tanto, o Construtalk proporciona momentos exclusivos para as construtechs. É o chamado pitch time!

Entre os participantes estavam gestores de construtoras e incorporadoras, empreendedores, investidores e estudantes.

Tem mais eventos do Buildin por aí

Para se manter sempre atualizado com relação ao que há de mais novo na indústria da construção é muito recomendável participar de eventos do setor. Esta atitude faz a diferença na carreira de profissionais dos mais diversos níveis e segmentos. Por isso, fique ligado nos principais eventos do setor de construção que acontecem no Brasil.

Melhor do que isso, cadastre-se para receber, sempre em primeira mão, informações e descontos exclusivos para participar dos eventos realizados pelo Buildin.

Para você ter uma ideia, em 2018 o Buildin realizou a segunda edição do Construsummit, em São Paulo. Trata-se de um dos mais importantes eventos da Indústria da Construção. Ao longo do evento são discutidos temas diversos, sobretudo relacionados a como tecnologia e a inovação impactam o setor. Assim, mesmo assuntos como os problemas da habitação são tratados com uma abordagem inovadora e tecnológica.

A edição 2018 recebem mais de 500 pessoas no auditório do Holiday Inn Anhembi, na cidade de São Paulo.

Dentre os palestrantes, estiveram presentes nomes nacionais e internacionais:

Gerry McCaughey – Fundador e CEO da Entekra Inc. e Century Homes

Jeff Wilson – Fundador da Kasita

Masa Noguchi – Fundador e Coordenador da Rede ZEMCH e Professor de Design

Ambiental da Universidade de Melbourne

Marcelo Nakagawa – Innovation Researcher no PGT-USP; Professor no Insper, FIA, Vanzolini, Butantan, FAPESP