Uma senha sera enviada para seu e-mail

Todos nós sentimos as consequências da estagnação econômica nos últimos anos e estamos ansiosos pela retomada da construção, concorda?

A boa notícia é que as projeções para 2019 indicam um cenário um pouco mais otimista, injetando confiança na indústria da construção.

Isso não quer dizer, obviamente, que a economia irá nadar de braçada e que não haverá desafios.

Será que viveremos um novo boom? Será que estamos preparados para a retomada da construção?

Para responder essas perguntas de modo objetivo, coletei alguns indicadores da construção e dados para que você possa tirar suas conclusões:

Índice de Confiança da Construção

Em 2017, o Índice de Confiança da Construção teve sucessivas quedas. Mas no final de 2018, o cenário começou a mudar.

Em setembro de 2018, o índice calculado pela FGV/Ibre era de 80,3. Esse valor subiu para 81,8 no mês seguinte. Em novembro chegou a 84,7.

Retomada da construção - tendências da construção - Sondagem da Construção FGV - Índice de confiança da construção - Buildin 01

Ana Maria Castelo, coordenadora de Projetos da Construção da FGV IBRE, explica. “As expectativas de recuperação da demanda e de melhoria dos negócios no curto prazo aumentaram a confiança dos empresários”.Tal movimento, diz, “foi impulsionado com o desfecho das eleições”.

Assim, indicador de atividade mostra uma retomada ainda lenta. Ainda assim, que já começa a repercutir sobre o emprego. “A atividade setorial ainda está aquém de sua média histórica, mas a direção é de retomada”, observou.

Retomada da construção - tendências da construção - Sondagem da Construção FGV - Índice de confiança da construção - Buildin 02

Consultoria e projetos de engenharia

O Sinaenco (Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva) também analisou dados de 2018 para fazer projeções para 2019.

De acordo com esse Sindicato da construção, o faturamento nominal das 40 maiores empresas de projetos e consultoria teve queda acumulada de 64,73% entre 2010 e 2017. Um baque, não?

Retomada da construção - tendências da construção - consultoria - Buildin 03

Mas com o crescimento acumulado de 7% do emprego até setembro de 2018, a indicação é de que o faturamento reflita essa evolução e feche 2018 com uma variação positiva.

No entanto, em função da redução de faturamento e, principalmente, do número de pessoas empregadas no setor desde 2014, a expectativa do Sindicato é de que faltarão projetos quando a atividade econômica da cadeia for de fato retomada. Em outras palavras, é preciso acender o sinal de alerta.

Indústria de equipamentos

Para 2019, uma sondagem junto às construtoras e locadoras de equipamentos aponta que:

Retomada da construção - tendências da construção - equipamentos - Buildin 04

  • 61% das empresas consultadas estão otimistas com a economia brasileira;
  • 48% se mostram otimistas com o setor da construção;
  • 57% dos entrevistados se disseram otimistas em relação à perspectiva de sua própria empresa.

Os dados são do Estudo do Mercado Brasileiro de Equipamentos para Construção 2018/2019 da Sobratema (Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração).

Apesar disso, a incerteza ainda é grande. Segundo o estudo, no ano que vem, o crescimento das vendas de equipamentos deve ficar entre -2% e 4%.

Agregados minerais e cimento

A expectativa das empresas do segmento de agregados minerais é fechar 2018 com alta de 3,5% em comparação ao ano anterior.

Retomada da construção - tendências da construção - cimento e agregados - Buildin 03

As empresas também projetam crescimento de 5% em 2019 no Brasil, com expansão esperada de 4,1% para o consumo de agregados no Estado de São Paulo. Os dados são da Associação Nacional das Entidades de Produtores de Agregados para Construção (Anepac).

No caso do cimento, a expectativa do consumo aparente no Brasil deve apresentar nova retração anual, com queda de 0,9% em 2018. Para 2019, a projeção é de crescimento de 3,7%, mas ainda com elevada capacidade ociosa no setor.

Materiais de construção

O faturamento da indústria de materiais de construção, de acordo com a  Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), deve fechar 2018 com uma expansão real de 1,5%. O número pode parecer pequeno, mas deve ser comemorado. Afinal, trata-se do primeiro resultado positivo após três anos consecutivos de retração.

Para os próximos quatro anos, a entidade projetou alguns cenários. O mais otimista à retomada da construção prevê expansão de 3% para a indústria de materiais de construção.

PIB da construção civil

Em 2018, o PIB da construção civil registrou o quinto ano seguido de retração. Mas a expectativa é a de que, em 2019, essa história mude a favor da retomada da construção.

Retomada da construção - tendências da construção - PIB da Construção - Buildin 05

A projeção é de um crescimento de 1,3%. O valor é modesto, é verdade, mas já indica uma mudança de direção.

Segundo o presidente do SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil), José Romeu Ferraz Neto, “a projeção leva em consideração o início de uma retomada no segundo semestre de 2018 e a expectativa de uma política econômica de reequilíbrio das contas públicas, reforma da Previdência e desburocratização para empreender”.

“Tenho dito aos nossos associados que sejam,conservadores e levem o barco devagar. E que fiquem preparados para a arrancada na direção de um futuro que é promissor”, afirma José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

Oportunidades e ameaças à retomada da construção

Resumidamente, podemos projetar para 2019 o início de um novo ciclo de crescimento, ainda que tímido.

O otimismo moderado em relação à retomada da construção se justifica por causa de fatores como:

Por outro lado, são motivos de incertezas:

E aí, a retomada da conclusão vai acontecer?

Em agosto de 2018, Celso Petrucci, presidente da Comissão da Indústria Imobiliária da CBIC, comentou que não estava descartada a possibilidade de haver um crescimento abrupto da economia, com uma demanda em rápida ascensão.

No caso de uma retomada da construção com tal perfil, em função da redução de estoque registrada ao longo de 2018, teríamos escassez de imóveis no mercado.

Será que 2019 será o ano da virada? Como sua empresa está se preparando uma o reaquecimento do mercado e retomada da construção?

Antes de encerrar, gostaria de te indicar alguns conteúdos relevantes publicados pelo Buildin e que têm tudo a ver com o futuro.

Primeiro, textos sobre tendências de carreira na engenharia civil e tendências de mercado da construção civil.

O segundo é uma lista com 8 novas tecnologias na construção civil para você ficar de olho.

Por fim, se puder, leia também o e-book “18 Tendências da Construção Civil” disponível para download gratuito.

O que você achou desse post? Se curtiu, não deixe de compartilhar em suas redes sociais!

Até breve!