Uma senha sera enviada para seu e-mail

Ainda que a economia brasileira esteja, aos poucos, dando sinais de melhora, o setor da construção civil e do mercado imobiliário devem terminar em queda em 2017. Pelo menos é o que indicam os dados levantados por essa retrospectiva da construção civil que o Buildin preparou para você.

A retração do setor é de 6%, de acordo com uma pesquisa da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

No quarto ano seguido de queda, a indústria da construção deve impactar negativamente no Produto Interno Bruto (PIB) nacional em 0,5%. O ano deve fechar com 105 mil vagas a menos no setor.

Em relação ao mercado imobiliário, os resultados não são muito diferentes. Até setembro de 2017, a quantidade de vendas de imóveis no Brasil diminuiu 5,1%. Mas se comparado ao desempenho do setor em 2016 no mesmo período, os dados de 2017 são mais otimistas. Vendas e lançamentos aumentaram em 4,2% e 14,7%, respectivamente.

De acordo com a economista e coordenadora de Projetos da Construção na Fundação Getúlio Vargas/IBRE, Ana Maria Castelo, a dificuldade de crescimento do setor imobiliário se deve à falta de crédito. “As famílias estão deixando de comprar imóveis e os distratos aumentaram”, afirma.

Quebra de expectativas

A opinião do vice-presidente de economia do SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção do Estado de São Paulo), Eduardo Zaidan, é semelhante. Para ele, ao fazer a retrospectiva da construção civil para 2017, o que se vê é um ano de quebra de expectativas para a indústria nacional. “A expectativa pelas delações da Lava Jato minou todo o otimismo sobre uma eventual volta de investimentos”, conta.

Além disso, ele lembra que a questão fiscal se acentuou, com Estados e Municípios apresentando sérios problemas de caixa. “Os investimentos caíram em todos os níveis de governo”, completa. Um dos resultados atualmente observados é de que a capacidade ociosa da indústria ainda é muito grande. “Enquanto não esgotar a capacidade ociosa não vamos crescer”, diz.

Um dos resultados positivos apurados nessa retrospectiva da construção civil para 2017 foi a redução do ritmo da inflação. Entretanto, o emprego acumulou queda de 11% durante 2017, causando fechamento de mais de 1 milhão de postos de trabalho, segundo Castelo.

“Houve uma enorme reversão de expectativas. Acreditávamos que seria um ano para pavimentar reformas. Embora tenham ocorrido algumas, a parte fiscal do Governo abriu um buraco ainda maior do que havia no começo do ano”, conclui Zaidan.

Perspectivas para 2018

No entanto, apesar dos números negativos levantados na retrospectiva da construção civil, o cenário tende a ser diferente para 2018. Tanto para Ana Maria Castelo quanto para Zaidan a expectativa é de que a indústria da construção e o mercado imobiliário tornem a crescer já no primeiro semestre.

Veja alguns destaques de 2017

– Retomada do Minha Casa, Minha Vida

O governo decidiu aumentar o acesso ao programa Minha Casa, Minha Vida com o objetivo de estimular o setor da construção, que sofria com os efeitos da crise e da operação Lava Jato. A ideia deu certo. O ingresso de famílias com renda mensal de até R$ 9 mil facilitou a melhora no setor da construção. Antes, apenas quem tinha renda até R$ 6,5 mil por mês podia participar do programa.

A moradia popular ajudou a recuperar o mercado imobiliário que, até então, estava abalado pela recessão. Dentre as empresas que estão na Bolsa de Valores, MRV, Direcional Engenharia e Tenda corresponderam, juntas, a dois terços das vendas e lançamentos de novas construções só no período entre junho e setembro de 2017. As três empresas lançaram empreendimentos com valor de venda de cerca de R$ 2 bilhões, aumento de 55,5% se comparado a todo o ano.

Para Ana Maria Castelo, isso se deve à maior facilidade de crédito, visto que, com imóveis mais baratos, fica mais fácil ter acesso a preços melhores.

No começo do ano, o governo já havia anunciado a construção de mais de 500 mil unidades residenciais do Minha Casa, Minha Vida.

– Cartão Reforma

O programa Cartão Reforma foi criado no final de 2016, mas foi em 2017 que os primeiros resultados começaram a aparecer. A ideia do programa é disponibilizar, em média, R$ 5 mil para famílias com renda de até R$ 1,8 mil ao mês, com o objetivo de adquirir materiais de construção.

O Governo Federal não cobra o dinheiro de volta, é um benefício. De acordo com o Ministro da Fazenda Henrique Meirelles, em cerimônia de entrega dos primeiros Cartões Reforma, “o projeto veio para impulsionar a construção civil, além de ter um forte componente social”.

– Queda na taxa de juros

A queda na taxa de juros também ajudou a amenizar as consequências que a crise econômica causou nas contas do governo, ainda que a dívida do país ultrapasse 2,4% do PIB.

A taxa Selic deve terminar com uma redução de 7,5% até o final de 2017. Com isso, os investimentos imobiliários devem melhorar. A última vez em que a taxa chegou neste número foi em maio de 2013. A tendência desse recuo nos juros deve levá-los ao menor nível em 60 anos.

– Reforma Trabalhista

Em 2017, a reforma trabalhista foi aprovada, mas suas consequências ainda estão para ser conhecidas.

Segundo a CBIC, a reforma pode ajudar a recuperar o setor da construção civil. A nova legislação garante, por exemplo, mais autonomia entre empregadores e sindicatos para acordos coletivos. Jornada de trabalho e salário estão dentre as questões que podem ser definidas pelo documento.

Retrospectiva da construção civil – os conteúdos mais acessados do Buildin em 2017

E como fim de ano é sempre um bom momento para analisar dados e rever o que foi feito, nós do Buildin separamos os 5 posts mais acessados em 2017 para você conferir.

Acompanhe a retrospectiva da construção civil para 2017!

  1. Tudo sobre Engenharia Civil

    Esta foi a nossa página mais acessada! Aqui apresentamos os principais conceito da engenharia civil. É um guia completo para profissionais do ramo que desejam conhecer melhor sobre o assunto.

    Neste post especial, você pode encontrar informações sobre:

    • História da engenharia civil
    • Diferentes áreas do setor
    • Projetos e disciplinas
    • Empresas de engenharia civil e mercado de trabalho
    • Obras que marcaram a engenharia
    • Informações sobre salário
    • Atribuições de um bom engenheiro
    • Nomes importantes da indústria da construção

    Além disso, apresentamos os cursos e especializações mais indicados e, claro, os livros que todo engenheiro civil precisa ler.

    Não termine 2017 sem essa leitura!

    Homens trabalhando em canteiro de obra

  2. Segurança do Trabalho: 4 motivos para você pensar

    Outro post muito visitado neste ano foi relacionado à segurança do trabalho na construção civil. 

    Para se ter uma ideia, o setor da construção civil é um dos mais perigosos do mundo. Só no Brasil, o número de acidentes no ramo é o 5º em ocorrências e o 2º em mortes, de acordo com os dados do Anuário Estatístico da Previdência Social (AEPS).

    No post, apresentamos 4 motivos para você refletir sobre o assunto e entender a importância de se preocupar com a segurança no canteiro de obra.

    Afinal, é mais barato investir na prevenção que virar estatística em acidente de trabalho.

    Homem trabalhando em canteiro de obra

  3. Segurança do Trabalho Salário: quanto ganha um técnico da área

    Levando em consideração o grande número de visitas e interesse nos motivos pelos quais é importante pensar em segurança do trabalho, o post sobre salário para profissionais de segurança do trabalho na indústria da construção fez bastante sucesso entre o público do Buildin.

    Atualmente, o cuidado em segurança tem crescido. Por isso, é tão alta a busca por especialistas em segurança do trabalho.

    O que você vai saber ao ler o artigo:

    • Realidade do mercado para um profissional técnico da área
    • Como é o dia a dia do profissional
    • Pisos salariais definidos de sindicatos de técnicos em segurança do trabalho
    • Dicas do que se pode fazer para ganhar mais como especialista no setor

    Homens na obra segurança do trabalho

  4. Tudo sobre Construção Civil 

    Nesta publicação, apresentamos todas as informações essenciais sobre a construção civil. Não abordamos apenas questões relacionadas à engenharia, mas também à arquitetura. Revelamos os melhores cursos da área, assim como seus principais nomes.

    No especial, ainda mostramos, entre outros:

    • As entidades da indústria da construção
    • Os principais termos do setor imobiliário
    • Indicadores da construção que os profissionais devem acompanhar
    • Normas de Segurança do Trabalho na Construção Civil
    • Materiais e equipamentos para o dia a dia no canteiro de obra

    E ainda: diversas planilhas e e-books para serem baixados e compartilhados!

     Canteiro de obra construção civil

  5. Erro 2 no Orçamento de Obra – Desconhecer os critérios de medição 

    Para fechar a nossa lista dos 5 posts com mais acesso, temos o artigo do nosso colunista, o engenheiro civil Aldo Dórea Mattos.

    Durante 2017, Aldo preparou conteúdos para explicar os 10 erros mais comuns em orçamento de obra. Este material rendeu uma dezena de postagens sobre o tema. Mas foi o Erro 2 aquele que mais foi visitado.

    No artigo, o engenheiro conta que desconhecer os critérios de medição está entre as falhas mais comuns dos profissionais da indústria da construção e cita 3 exemplos detalhados no texto:

    • Alvenaria
    • Pintura
    • Escavação

    Antes de terminar 2017, aproveite para ler nosso e-book Tudo Sobre Engenharia Civil!

    E aí, sobre qual assunto você gostaria de ler aqui no Buildin em 2018?

    [typeform_embed type=”embed” url=”https://buildin.typeform.com/to/yVWdVG”]