16 agosto 2018

Sem categoria

Saiba como desenvolver inovação sustentável na construção

Original de Buildin
Inovação sustentável na construção
0

Você já sabe que o desenvolvimento tecnológico pode promover uma verdadeira revolução na indústria da construção. Afinal, ele induz à maior produtividade nos canteiros e à racionalização de recursos materiais.

Inovações também podem contribuir para que a construção se torne mais sustentável. O que é mais do que necessário, lembrando que estamos falando de um setor intensivo no consumo de recursos naturais e energia.

Mas como utilizar as novas tecnologias para produzir de modo mais ambientalmente correto?

A resposta vai muito além da mera substituição de materiais de construção convencionais por equivalentes ecológicos.

A construção torna-se mais sustentável quando deixa de lado de um modo tradicional e artesanal de produção para utilizar métodos que:

  • Otimizem o uso de recursos;
  • Diminuem o desperdício;
  • São baseados em projetos mais precisos, reduzindo retrabalhos;
  • Demandem menos deslocamentos, poupando emissões de CO2;
  • Empreguem melhores processos de construção, que gerem edifícios mais duráveis, eficientes e que exigem menos manutenção;
  • Garantam segurança aos trabalhadores.

Quer entender melhor como isso funciona? Continue conosco:

Digitalização de processos = menos papel + eficiência – desperdício

Você está cansado de saber que produzir de modo mais inteligente é imperativo para a indústria da construção dar um salto de produtividade. Não à toa, tendências de TI que se firmam cada vez mais são as que justamente buscam atacar esse problema. É o caso da digitalização de rotinas, da computação na nuvem e da integração de processos.

Também é nessa linha que vêm trabalhando muitas das construtechs atuantes no mercado. Para saber mais sobre elas, leia o Mapa de Construtechs e Proptechs realizado pelo Construtech Ventures.

Entre as diversas novas soluções oferecidas, podemos destacar:

  • Softwares de gestão de obras focado em integração;
  • Aplicativos para redução de desperdício;
  • Plataformas para cotação de preços de materiais de construção;
  • Marketplaces de vendas.

Tudo isso, quando bem utilizado, cria um potencial gigante de racionalização de recursos, seja no canteiro de obras, seja nos escritórios.

Inovação sustentável = mais assertividade em projetos

A indústria da construção representa 13% do PIB (Produto Interno Bruto) global, e emprega 8% da força de trabalho no mundo. No entanto, é marcada pela alta taxa de desperdício de materiais e pelos baixos índices de produtividade de sua mão de obra.

Nesse contexto, parece crucial a melhoria na gestão das empresas, a utilização de processos construtivos industrializados e a elevação da padronização de produto.

Para uma indústria que precisa produzir com mais precisão, eliminando de vez o improviso, uma inovação se destaca: o BIM (Building Information Modeling), em português, Modelagem da Informação da Construção.

Você já ouviu falar muito sobre essa plataforma. Ainda assim, vamos destacar 5 benefícios para você entender como o BIM pode ajudar em termos de construções mais sustentáveis:

  • A visualização 3D do projeto facilita a análise de conforto térmico, acústico e luminotécnico de um projeto.
  • O BIM expande a análise para além da gráfica, contemplando diversos fatores, como localização geográfica, incidência de luz solar, temperatura, propriedade dos materiais usados, etc.
  • A modelagem 3D induz a menos mudanças de projeto e do planejamento. Isso implica em menos retrabalhos e desperdícios.
  • O desperdício também diminui em função da extração automática de quantidades de serviços e componentes utilizados na obra.
  • O BIM possibilita que dados como o custo do uso da edificação e gastos com água e energia sejam controlados por meio de um modelo.

Em suma, com o BIM se tem projetos mais eficientes, duráveis e sustentáveis. Se quiser aprofundar seus conhecimentos sobre essa plataforma, não deixe de acessar o Guia Completo sobre a Tecnologia BIM.

Mais qualidade e controle com a Internet das Coisas

A Internet das Coisas ou Internet of Things (IoT) também vem transformando a forma de se construir edifícios. De acordo com dados divulgados pela consultoria Frost & Sullivan, o mercado de IoT deve alcançar receitas de US$ 3,29 bilhões em 2021, cerca de R$ 10 bilhões.

Um dos principais ganhos esperados com a introdução dessa tecnologia é a melhoria da qualidade e do monitoramento da vida útil das construções, reduzindo, por exemplo, custos com manutenção. Isso tem tudo a ver com sustentabilidade, não é mesmo?

Veja alguns exemplos:

  • A inserção de sensores de temperatura antes da concretagem pode fornecer ao construtor um controle muito mais rigoroso do tempo de cura. Esse artigo (em inglês) explica bem como isso funciona.
  • Mais além, sensores introduzidos permanentemente em peças de concreto podem detectar eventual necessidade de manutenção antes de um problema maior acontecer.
  • Caminhões e cargas conectados à internet permitem que os gestores monitorem em tempo real as suas cargas e planejem a obra corretamente. A IoT também pode diminuir os atrasos nas entregas causados por falhas nos veículos.
  • Coletores de dados RFID e os leitores de código de barras simplificam a gestão de estoque das construtoras.
  • A IoT leva a um novo patamar a gestão e a automação de edifícios, controlando o gasto de energia e de água, por exemplo.
  • A IoT já vem sendo utilizada em algumas cidades para dar mais eficiência ao sistema de irrigação de parques e jardins públicos. Em Barcelona, todo o sistema de irrigação pode ser controlado por tablets, reduzindo o desperdício de água.

Gestão de resíduos mais inteligente

Estima-se que mais de 50% dos resíduos sólidos gerados pelo conjunto das atividades humanas sejam provenientes da construção. Soluções que assegurem melhor gestão de resíduos, portanto, são mais do que bem-vindas.

Muitas das inovações nessa área são baseadas em tecnologias como big data analytics e cloud computing (computação na nuvem).

Um caminho para quem quer desenvolver inovação sustentável na construção é buscar o apoio de construtechs.

Entre as que trabalham com gestão de resíduos destacamos a B2Blue, ferramenta online desenvolvida para conectar milhares de indústrias e empresas que enxergam resíduos como matérias-primas.

Quem também faz um trabalho interessante é a Net Resíduos, que disponibiliza uma solução online para o gerenciamento e total controle dos dados de geração, transporte e destinação de resíduos.

Robótica e realidade virtual a serviço dos trabalhadores

Quando se fala em sustentabilidade, muitas vezes se limita a discussão à preservação dos recursos naturais do planeta. Mas a segurança no trabalho também é uma das vertentes importantes em projetos que almejam ser sustentáveis.

Nesse ponto, a inovação tecnológica também tem muito a contribuir. Quer saber como?

A realidade virtual, por exemplo, pode auxiliar os trabalhadores em treinamentos, ao simular condições mais próximas da realidade.

A robótica é outra aliada. Robôs utilizados em demolições podem ajudar a preservar vidas humanas.

A tecnologia pode ajudar a desenvolver gadgets que facilitem o trabalho nos canteiros. A japonesa Obayashi Corporation investiu em um exoesqueleto para reduzir o esforço dos trabalhadores na movimentação manual de cargas. Com o dispositivo robótico posicionado na cintura, um operário pode erguer um objeto de 20 kg com apenas 12 kg de força aplicada pelo próprio corpo.

Conclusão

Ao longo desse artigo, você notou como a tecnologia e a sustentabilidade estão intrinsecamente ligadas. Você também viu alguns exemplos de novidades que podem auxiliar a construção a produzir melhor, com menos recursos e gerando menos impacto no ambiente.

Se esse post foi útil para você não deixe de comentar e compartilhar!

E se você quiser saber mais sobre como a tecnologia na construção está revolucionando a forma de projetar e de construir, não deixe de ler esse post publicado no Buildin.

Confira o Buildin Entrevista com o especialista em construções sustentáveis, Luiz Augusto Marchi:

Foto do Autor

Autor
Juliana Nakamura

Jornalista especializada no setor de construção civil, tem amplo conhecimento do mercado imobiliário e da engenharia civil. Sua experiência na cobertura de obras, debates e eventos do setor a torna um dos principais nomes do jornalismo especializado no Brasil!

Comentários