16 novembro 2018

Área de interesse

24 principais investidores de smart money na construção civil

Original de Buildin
smart money na construção civil Buildin 01
0

Você sabe que a transformação necessária para a indústria da construção passa, em grande parte, por disrupções e pelo uso de novas tecnologias. E isso tem tudo a ver com smart money na construção civil!

Afinal, essas mudanças dependem muito do sucesso dos negócios emergentes, especialmente startups.

Para essas empresas, conquistar um modelo de negócios escalável exige recursos financeiros. Ou seja, aportados por investidores que enxergam rentabilidade nessas iniciativas pioneiras.

Mas além do dinheiro, dispor de conhecimento e experiência de mercado pode fazer toda a diferença para o progresso de uma startup. Especialmente nos mercados de arquitetura, engenharia, construção civil e real estate. Afinal, o smart money na construção civil oferece a oportunidade de trabalhar com grandes empresários da indústria.

É exatamente nisso que consiste o smart money na construção civil, tema que escolhemos para tratar neste artigo. Afinal, o tema construtech está envolto por expressões como equity free e open innovation, dentre outros.

Ficou interessado em saber mais sobre smart money na construção civil?

Então, siga conosco:

O que é smart money?

O chamado smart money (dinheiro inteligente, em português), refere-se a investidores que, além de aportar capital, adicionam um diferencial importante para a startup. Ou seja, é um capital que já impulsionou muitos negócios inovadores.

Estamos falando de pessoas e grandes empresas capazes de contribuir com insights importantes sobre o modelo de negócio em questão. Além disso, que têm trânsito fácil junto a clientes potenciais.

O investidor classificado como smart money é aquele que combina capital e mentoria. Ou seja, na grande maioria das vezes, são profissionais com vasta experiência na área que apoiam. Imagine, por exemplo, ter 400 mentores ativos para auxiliar na condução da sua empresa! Assim, é usual para construtechs ter workshops, palestras e mentorias com executivos.

No caso do smart money, a experiência e a reputação do investidor contribuem enormemente para o sucesso da startup. Ou seja, tanto quanto o aporte financeiro.

Resumidamente, o smart money:

  • Injeta recursos na empresa para que ela possa se expandir
  • Agrega experiência e profissionalismo na gestão da companhia
  • Possui rede de contatos sólida, ajudando a empresa a obter novos contratos.

O oposto do smart money é o dumb money (dinheiro burro). Assim, se trata daquele recurso que não está atrelado a nenhum conhecimento. Ou seja, proveniente de parceiro inexperiente e incapaz de ajudar o negócio a se expandir.

Os investimentos no mercado de startups e tecnologia na construção civil

As empresas que trabalham com inovação estão vivendo um momento muito particular e promissor.

De acordo com levantamentos da Construtech Ventures, realizados por meio da base de dados do Crunchbase, mais de US$ 8,3 bilhões foram investidos em construtechs de todo o mundo. Tudo isso apenas em 2018.

O estudo abrange diversos investimentos de smart money na construção civil. Ou seja, em startups para desenvolvimento imobiliário e da construção. Além disso, considera os seguintes tipos de investimento:

  • smart money na construção civil Buildin investimento anjo angelInvestimento anjo: Realizado por pessoas físicas com capital próprio em empresas nascentes com alto potencial de crescimento.
  • Bootstrapping: Quando o empreendedor tira dinheiro do próprio bolso para investir na empresa.
  • Incubadoras: É o investimento feito para apoiar pequenas empresas de acordo com alguma diretriz governamental ou regional.
  • smart money na construção civil Buildin investimento seed sementeAceleradoras:  Dedicam-se às empresas com o potencial para crescerem rápido. Costumam ser acompanhadas de mentoria e trabalham com startups escaláveis. É o caso, por exemplo, do Okara Hub.
  • Capital semente (Seed): Recursos direcionados a empresas que ainda não estouraram, mas que já têm produtos ou serviços lançados no mercado e algum faturamento.  Pode ser feito tanto por pessoas físicas e jurídicas.

 

Confira o Guia de programas de aceleração e seleção para construtechs e proptechs desenvolvido pelo Buildin!

  • Venture capital: Apoia negócios por meio da compra de uma participação acionária, geralmente minoritária, com objetivo de ter as ações valorizadas para posterior saída da operação.
  • Venture building: Combina características das incubadoras, das aceleradoras e do venture capital. Geralmente a participação de uma venture builder na startup é grande, chegando a até 80% da estrutura acionária na fase inicial.

Maiores investidores de smart money na construção civil

Você pode estar se perguntando. Que tipo de investidor coloca capital em startups, considerando o alto risco que esse tipo de investimento representa? Além disso, não custa lembrar que estamos falando de jovens empresas e de produtos e/ou soluções inovadores.

Mas a verdade é que há sim muitos grupos apostando no sucesso dessas jovens empresas, como mostra estudo realizado pela consultoria CB Insights.

O trabalho listou 24 empresas de capital de risco que injetam recursos e conhecimentos em startups de tecnologia de construção imobiliária. Ou seja, smart money na construção civil! A maior parte dessas companhias está localizada no Vale do Silício, na Califórnia, EUA.

São elas:

1- Sequoia Capital smart money na construção civil Sequoia Capital Buildin
2 – Benchmark Capital
3 – Accel Partners
4 – Greylock Partners
5 – Andreessen Horowitz
6 – Union Square Ventures
7 – First Round Capital
8 – Bessemer Venture Partners
9 – Kleiner Perkins Caufield & Byers
10 – New Enterprise Associates
11 – Founders Fund
12 – Lightspeed Venture Partners
13 – Foundry Group
14 – Index Ventures
15 – Khosla Ventures
16 – Social Capital
17 – Emergence Capital Partners
18 – True Ventures
19 – Floodgate Fund
20 – General Catalyst Partners
21 – CRV
22 – Spark Capital
23 – Battery Ventures
24 – Redpoint Ventures

Para quem quer saber mais sobre o estudo da CB Insights na indústria da construção, recomendo a leitura desse relatório (em inglês).

Startups que receberam os maiores aportes de smart money na construção civil

Os dados da CB Insights e da JLL Research traz tendências relevantes para o setor. Assim, indica, por exemplo, que as construtechs que receberam os maiores aportes nos últimos dois anos são norte-americanas (maioria) ou chinesas.

Quer saber quem são elas?

Olhe a lista abaixo:

smart money na construção civil Buildin Construtech Ventures 01

Original em https://construtechventures.com.br/blog/investimentos-em-construtechs/

Leia esse post se quiser saber mais sobre a líder dessa lista, a Katerra. A empresa se dedica à verticalização da produção de residências, do design à fabricação.

E no Brasil, como funciona o smart money na construção civil?

Por aqui, o mercado também está bem aquecido. É o que indica estudo da Construtech Ventures. De acordo com o estudo, os aportes provenientes de fundos ou gestora de venture capital, aceleradoras e investidores anjo em construtechs brasileiras somaram mais de R$ 450 milhões nos últimos anos.

O perfil das startups que receberam tais aportes varia bastante. Assim, inclui as que oferecem soluções de gestão de documentos para construtoras e envolve até marketplaces de imóveis e de serviços.

Assim, temos alguns exemplos de startups que receberam alto volume de recursos. Duas delas são a VivaReal e a QuintoAndar, ambas relacionadas à intermediação da compra e venda de imóveis.

Da mesma forma, também receberam grande injeção de capital a Mobly. Trata-se de um e-commerce de itens de decoração. A GetNinjas também recebeu aportes. É uma plataforma de intermediação de prestadores de serviço e proprietários de imóveis que precisam de reparos.

Além dessas, há muitos outros exemplos de investimentos realizados em construtechs no Brasil e no mundo.

Conclusão

É notável que os investimentos em startups vêm crescendo exponencialmente no Brasil e no mundo.

smart money na construção civil Buildin Construtech Ventures 02

Original em https://construtechventures.com.br/blog/investimentos-em-construtechs/

No caso da indústria da construção, os potenciais de expansão são enormes. Isso porque há desafios significativos para essa cadeia e que demandam inovação urgente.  Ou seja, o smart money na construção civil será cada vez mais uma realidade.

Assim, eficiência e baixa produtividade são alguns dos problemas a serem solucionados. Apenas para ilustrar, trabalho publicado na Harvard Business Review mostra que o segmento de construção é o segundo pior entre os avaliados com relação à adoção de tecnologias digitais em seus processos.

Dessa maneira, antes de concluir gostaria de deixar três sugestões para enriquecer ainda mais a sua experiência e seus conhecimentos.

A primeira delas é um post que conta o que é inovação na construção e por que vale á pena investir nisso.

A segunda dica de leitura é esse e-book que traz nada menos do que dezoito tendências para a construção civil.

Por fim, convido-o a participar do Construsummit, que acontece nos dias 28 e 29 de novembro, em São Paulo.

A programação do evento está riquíssima, com participantes do Brasil e do exterior. O objetivo é debater em alto nível como a tecnologia e a inovação impactam na indústria da construção. Você não vai querer ficar de fora dessa, não é mesmo?

Esse conteúdo foi útil para você? Compartilhe suas impressões conosco! Até a próxima!

Foto do Autor

Autor
Juliana Nakamura

Jornalista especializada no setor de construção civil, tem amplo conhecimento do mercado imobiliário e da engenharia civil. Sua experiência na cobertura de obras, debates e eventos do setor a torna um dos principais nomes do jornalismo especializado no Brasil!

Comentários