10 outubro 2018

Colaboradores

Conheça a startup que aposta na construção 3D

Original de Buildin
Juliana Martinelli - InovaHouse3D - Impressora 3D na construção civil
0

Você já deve ter ouvido falar em como a impressão 3D pode transformar a forma se construir, não é mesmo?

Essa tecnologia, também conhecida como manufatura aditiva, está em fase embrionária no Brasil.

No entanto, o potencial de aplicação na construção é imenso, com alta probabilidade de modificar radicalmente a forma de se executar as obras.

Uma das construtechs que trabalham para o crescimento desse mercado é a InovaHouse 3D, foco do nosso post de hoje.

Continue conosco para saber mais:

A primeira impressora 3D na construção brasileira

Em 2015, a engenheira Juliana Martinelli, fundadora e CEO da InovaHouse3D, teve uma ideia bastante desafiadora: desenvolver a primeira impressora 3D para a construção civil da América Latina.

Tudo começou quando ela e outros colegas, ainda estudantes da Universidade de Brasília (UNB), juntaram suas mesadas e salários de bolsas de estudo para desenvolver um protótipo daquilo que viria ser a impressora 3D.

O objetivo da equipe era minimizar os problemas de baixa produtividade no setor a partir da tecnologia.

Após terem sido acelerados pela ACE, de São Paulo, a InovaHouse vem passando por um processo de reestruturação.

“Hoje, trabalhamos com o conceito de disseminar essa tecnologia no Brasil, tanto para o mercado, quanto para órgãos regulamentadores e universidades”, diz Juliana.

“A intenção é construir um ecossistema capaz de absorver essa inovação aqui na América Latina”, continuou a engenheira, que participou do Construtalk Floripa. O evento aconteceu na capital catarinense, em setembro de 2018.

Benefícios da impressora 3D para a construção civil

A InovaHouse3D é pioneira no estudo da manufatura aditiva no setor da construção no Brasil.

De acordo com a startup brasileira, alguns benefícios que a impressão 3D pode trazer aos processos construtivos são:

  • Atuação mais produtiva do setor;
  • Menos acidentes de trabalho;
  • Maior liberdade arquitetônica;
  • Maior controle sobre recursos;
  • Menos desperdícios;
  • Potencial para aplicação em locais que passaram por catástrofes e que precisam ser reconstruídos rapidamente.

Segundo Juliana Martinelli, outra vantagem do uso da impressora 3D na construção é que, com ela, é possível escalar sem precisar construir sempre da mesma maneira.

Confira no vídeo abaixo o depoimento da empreendedora. Nele, ela responde às seguintes questões:

1) O que a impressão 3D tem a ver com a industrialização da construção civil?

2) Que benefícios vocês já sentem com a presença da manufatura aditiva na construção civil?

Desafios à implantação da construção 3D no Brasil

De acordo com Juliana, um dos maiores desafios para consolidar a impressão 3 D na construção brasileira é implementar a nova tecnologia no mercado. Isso porque ainda não há uma metodologia construtiva definida.

A InovaHouse 3D, desde o seu nascimento, vem testando e aperfeiçoando sua tecnologia para design de mobiliário urbano e de interiores em cimento, bem como a convencional impressão 3D de plástico na prototipagem.

O vídeo a seguir é um compilado que mostra evolução da impressora da startup desde a montagem da primeira versão. Confira!

O que é a manufatura aditiva?

Já aproveitada pelos setores automotivo e aeroespacial, bem como para a fabricação de implantes médicos, a manufatura aditiva ganha cada vez mais novas aplicações.

Um dos motivos é porque essa tecnologia permite produzir peças sem ferramental especial e viabiliza a reprodução de geometrias até então inviáveis por técnicas tradicionais.

A tecnologia de impressão em três dimensões não é bem uma novidade. Ela foi desenvolvida em 1984, através de princípios da estereolitografia, pelo americano Chuck Hull.

Capaz de produzir os mais variados tipos de objetos, a impressão 3D utiliza um software que desenha a peça e a encaminha diretamente para a impressora, onde adquire forma física.

A impressão pode ser realizada a partir de materiais variados (polímeros, concreto, cerâmicas, etc), sempre depositados em camadas.

O tempo total para que o objeto fique pronto varia de horas a dias, dependendo de sua complexidade e porte.

Na China já há exemplos de casas construídas em apenas 24 horas, como você pode conferir no vídeo a seguir.

Existem vários tipos de impressão 3D. O método mais comum, de extrusão, funciona a partir de um extrusor que libera camadas de plástico aquecido. O processo é indicado principalmente para produção de peças robustas e protótipos funcionais.

Entre outras tecnologias, há também a estereolitografia, já citada, que produz os objetos a partir de um laser de alta precisão que endurece o material.

Construção 3D – Principais conclusões

Antes de finalizar esse texto, gostaria de indicar para você outros dois conteúdos publicados pelo Buildin e que complementam muito bem o tema que acabamos de abordar.

Em “8 novas tecnologias na construção civil para acompanhar” você pode conferir uma seleção de novas tecnologias que colaboram para elevar a eficiência de obras e projetos de construção.

Além disso, recomendo a leitura de “Construção modular: o que ela pode fazer por sua construtora?” Nesse texto, detalhamos como é possível obter ganhos consistentes com a implantação da construção modular pré-fabricada.

Esse conteúdo foi útil para você?

Compartilhe suas impressões conosco e, também, em suas redes sociais.

Até a próxima!

Foto do Autor

Autor
Vanessa Farias

Jornalista e Analista de Conteúdo do Buildin.

Comentários