7 março 2019

Sem categoria

Tecnologia na construção civil: as 6 empresas pioneiras no Brasil

Original de Buildin
uso da tecnologia na construção Buildin
0

Você já sabe que o uso da tecnologia na construção civil pode transformar o setor ao aumentar a produtividade, reduzir desperdícios e elevar a eficiência dos processos.

Enntão, você também já percebeu que as práticas inovadoras podem fazer toda a diferença para quem busca o sucesso e a perenidade no mercado. Assim, é preciso entender que isso vale sobretudo em tempos de intensa competitividade como os atuais.

Por isso, no Brasil, algumas construtoras vêm saindo de suas zonas de conforto e desenvolvendo formas próprias de praticar inovação na construção civil. Isso para mudar métodos de produção e gestão no setor da construção civil. Enfim, entenderam que o futuro da construção é investir em inovação tecnológica.

Afinal, o objetivo é alinhar-se às demandas da sociedade atual. Ou seja, que pressiona por custos, qualidade e responsabilidade ambiental e social.

São exemplos de uso da tecnologia na construção civil. Consequentemente, mostram ser possível obter vantagem competitiva por meio de inovações. Sejam estes em processos, industrialização ou criação de produtos para atender novas demandas. Ou seja, tudo fruto de aplicação correta dos conceitos fundamentais da engenharia civil e da arquitetura.

Você quer saber mais sobre essas experiências?

Siga conosco:

Empresas que mais fazem uso da tecnologia na construção civil

Tecnisa

Ao longo dos anos, a Tecnisa vem acumulando prêmios no quesito inovação. Assim, em 2015 e em 2016, conquistou o 1° lugar entre as 100 mais inovadoras do País. O reconhecimento se deu na categoria Engenharia e Infraestrutura do Prêmio Inovação Brasil.

Logo, em 2017, foi eleita a terceira mais inovadora pelo Prêmio Best Innovator 2017. Ou seja, a empresa de capital nacional melhor colocada no ranking.

A que isso se deve?

Isso ocorreu porque a construtora foi a primeira no País a utilizar drones para  o registro fotográfico do progresso no canteiro de obras.

Da mesma forma, ela também é uma das primeiras a aceitar bitcoins na compra de imóveis.

Além disso, uma das iniciativas de destaque da Tecnisa é o Fast Dating. São encontros que ocorrem a cada 21 dias com startups.

Nesses eventos, as empresas apresentam projetos inovadores em até 10 minutos. As sessões são abertas aos colaboradores e mediadas por um comitê de inovação da empresa. Como resultado, em seis anos, participaram cerca de 600 empresas do Fast Dating.

MRV Engenharia

A MRV Engenharia venceu o Prêmio Valor Inovação Brasil 2018, sendo uma das empresas que fazem uso da tecnologia na construção civil.

O prêmio é promovido pelo Valor Econômico em parceria com consultoria Strategy e a Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei).

Líder nacional no mercado de imóveis econômicos, a empresa foi a primeira construtora da América Latina a oferecer energia fotovoltaica para seu segmento de atuação.

Da mesma maneira, foi pioneira no desenvolvimento de um aplicativo (Meu MRV). O app é voltado para o relacionamento e atendimento ao cliente via inteligência artificial.

Assim, a ferramenta se baseia na tecnologia IBM Watson. Ou seja, uma plataforma cognitiva que analisa grandes volumes de dados e gera respostas para as solicitações feitas no APP.

Segundo a construtora, seu modelo de inovação é descentralizado. Ou seja, estimula os colaboradores de todas as áreas a buscar novas soluções e a apresentar ideias para aprimorar o negócio da companhia.

Vitacon

A Vitacon é um exemplo de aplicação da inovação no desenvolvimento de produtos.

A empresa, conhecida pela construção de imóveis ultracompactos, lança empreendimentos em São Paulo com unidades entre 60 m² e 10 m². Ou seja, aposta no desenvolvimento e oferta de prédios inteligentes com áreas compartilhadas.

Consequentemente, os edifícios dispõem de design apurado, automação e excelente localização, privilegiando o aproveitamento inteligente de cada metro quadrado.

Assim, devido ao uso da tecnologia na construção civil, alguns dos empreendimentos da empresa têm fila de espera. Esta chega a três interessados por unidade.

Os desenvolvimentos partem do pressuposto que estamos diante de uma transformação no modo de morar. Assim, a tecnologia é um dos cinco pilares da transformação, assim como mobilidade, tempo, compactar e compartilhar.

Seguindo nessa linha, a empresa estuda a possibilidade de fazer “apartamentos na nuvem”. A ideia é desenvolver um modelo de moradia que acompanhe as transformações no estilo de vida das pessoas. Ou seja, no qual a pessoa pague pelo direito de usar um imóvel, sem necessariamente ficar preso a uma unidade.

Matec

A Matec Engenharia tem forte atuação nos segmentos industrial, varejo, saúde e shopping centers.

Por isso, vem adotando, ao longo dos anos, metodologias para transformar a indústria da construção. Assim, a finalidade é criar linhas de montagem otimizadas.

Logo, a pré-engenharia, a industrialização intensa e o uso maciço de tecnologia da informação trouxeram transformações consistentes. Com uso da tecnologia na construção civil a construtora pôde atender clientes que demandam curtíssimos prazos de entrega. Mais que isso, sem perda da qualidade.

A Matec se destaca também pelo aproveitamento avançado do BIM (Building Information Modeling) em seus projetos de construção. Com novas tecnologias como prototipagem 7D, a empresa consegue obter mais eficiência em todo o processo da cadeia construtiva e melhorar as seguintes áreas:

  • Gerenciamento de projetos;
  • Plano de gestão da qualidade;
  • Formação de preços e escolha de fornecedores certificados;
  • Análise de logística e condições de execução;
  • Engenharia de valor;
  • Sustentabilidade;
  • Certificações.

Em entrevista, Luiz Augusto Milano, diretor e presidente da Matec, comenta a importância de investir em inovação e no capital humano, até mesmo para mão de obra. Há, inclusive, ganhos com redução de custos.

Confira!

Rôgga

Com atuação exclusiva em Santa Catarina, a Rôgga investe forte na industrialização. Assim, a empresa pretende resolver problemas comuns à construção.

São exemplos a elevada geração de resíduos, falta de compatibilidade nos projetos, atrasos e falhas de planejamento.

A empresa trabalha com um centro de preparação e logística (CPL). Ou seja, uma unidade de pré-fabricação de lajes, vigas e escadas de concreto para suas obras. Assim, as peças chegam ao canteiro prontas para içamento e montagem.

Uma vantagem dessa metodologia é a sustentabilidade, decorrente da redução de desperdícios e da eliminação de madeira no canteiro.

Assim, como resultado da iniciativa a construtora registrou redução do período de obra e redução nos índices de assistência técnica. Além disso,  projetos 100% compatibilizados. Isso significa menos retrabalho.

Por isso, em função da industrialização aplicada na construção de edifícios habitacionais, a Rôgga recebeu o Prêmio CBIC de Inovação e Sustentabilidade, em 2017.

Gerson Castanho, gerente de inovação da Rôgga, conta o que a empresa pensa sobre inovação.

Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário

O braço imobiliário da Camargo Corrêa, a CCDI pode ser citada como exemplo de busca pela inovação na construção civil.

Entre outras práticas, a empresa é um dos destaques nacionais em uso do BIM.

Isso porque a CCDI desenvolveu o SigPro (Sistema Integrado de Gestão de Projetos). Assim, o SigPro prevê a integração de todas as atividades de planejamento e controle em um modelo BIM (Building Information Modeling).

Assim, o sistema opera desde o escritório até as frentes de serviço nos canteiros. Logo, todas as informações necessárias para a execução dos serviços passam a estar disponíveis nos tablets da equipe de campo.

Então, segundo executivos da CCDI, o uso desse sistema em uma obra piloto, em São Paulo, proporcionou ganhos inéditos. Assim, as tomadas de decisão tornaram-se mais participativas, assertivas e rápidas. Ou seja, permitindo recuperar o atraso inicial da obra, de quatro meses.

Por essa experiência, a CCDI recebeu, em 2016, o Prêmio de Excelência BIM SindusCon-SP na Categoria Construtor.

Luiz Augusto Iervolino Pereira, diretor de engenharia e sistemas de gestão da construtora conta mais sobre o SigPro!

Conclusão

Nesse post você pode conhecer seis exemplos de aplicação da inovação e da tecnologia na construção civil.

Então, para complementar, gostaria de recomendar a você outros conteúdos bastante interessantes sobre esse tema.

O primeiro é uma entrevista realizada com Luiz Henrique Ceotto. Ele, que se especializou no MIT, nos Estados Unidos, comenta sobre os desafios para implementar tecnologia na construção civil e transformar cada vez mais o setor.

O segundo é um artigo que mostra como é possível aumentar a produtividade com o uso da tecnologia na construção civil.

Nesse contexto, não deixe de conferir 7 aplicações práticas de inovação na construção para ficar de olho.

Em 5 inovações na construção civil que estão agitando o mercado você verá o que vem por aí em termos de inovação na construção civil, incluindo uso de drones, impressão 3D, realidade virtual e aumentada, dentre outras novidades.

Além disso, é fundamental estar presente em bons eventos voltados para inovação na construção civil.

Curtiu esse artigo? Então não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais.

Foto do Autor

Autor
Juliana Nakamura

Jornalista especializada no setor de construção civil, tem amplo conhecimento do mercado imobiliário e da engenharia civil. Sua experiência na cobertura de obras, debates e eventos do setor a torna um dos principais nomes do jornalismo especializado no Brasil!

Comentários